4 eventos ao vivo

Líder do Senegal se reelege graças a boom econômico, mas oposição contesta

28 fev 2019
16h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente do Senegal, Macky Sall, conquistou mais um mandato com tranquilidade na eleição de domingo, como mostraram cifras provisórias nesta quinta-feira, o que lhe dá mais cinco anos para concluir uma série de projetos de modernização.

 Macky Sall, discursa após votar 24/2/2019 REUTERS/Zohra Bensemra
Macky Sall, discursa após votar 24/2/2019 REUTERS/Zohra Bensemra
Foto: Reuters

Os quatro candidatos de oposição disseram que rejeitam o resultado, mas também que não apelarão contra ele.

    A economia senegalesa ganhou ímpeto desde que Sall tomou posse em 2012, impulsionada pela construção de um novo aeroporto e vias expressas e uma ampliação da rede elétrica que foram aplaudidos por doadores internacionais e a elite local.

"Acreditamos nele sete anos atrás, continuamos a acreditar nele agora. Ele é um visionário... ele é o futuro do Senegal", disse a apoiadora Aicha Cisse Bottenoire.

    Mas grupos de direitos humanos criticam Sall por reprimir duramente os dissidentes, livrar-se de rivais e fazer pouco pelos pobres - na ex-colônia francesa de 15 milhões de habitantes a renda média é de menos de 200 dólares por mês.

    Khalifa Sall, ex-prefeito de Daca, e Karim Wade, filho do ex-presidente Abdoulaye Wade, que governou de 2000 a 2012, foram impedidos de concorrer devido a condenações por corrupção que a oposição disse terem tido motivação política. Sall e seu partido o negam.

O adversário Idrissa Seck, que ficou em segundo lugar com cerca de 21 por cento dos votos, e Ousmane Sonko, que chegou em terceiro com 16 por cento, disseram em um comunicado conjunto: "Rejeitamos firme e convictamente estes resultados. (Sall) desconsiderou a vontade do povo."

"Não faremos uma apelação ao conselho constitucional", acrescentaram, sem especificar qual será sua próxima medida.

    Tecnicamente, os candidatos derrotados têm 72 horas para apresentar uma apelação.

Veja também:

Filha interrompe entrevista por vídeochamada e vira sensação nas redes
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade