PUBLICIDADE

Líder de gangue do Haiti ameaça matar reféns missionários dos EUA

22 out 2021 11h39
ver comentários
Publicidade

Um haitiano que se identificou como o líder da gangue que sequestrou um grupo de missionários norte-americanos e canadenses disse em um vídeo publicado no YouTube na quinta-feira que está disposto a matar "estes americanos" se não receber o que precisa.

Haitianos protestam contra sequestros conforme pressão para libertar missionários aumenta, em Titanyen, Porto Príncipe, Haiti 
18/10/2021 REUTERS/Ralph Tedy Erol
Haitianos protestam contra sequestros conforme pressão para libertar missionários aumenta, em Titanyen, Porto Príncipe, Haiti 18/10/2021 REUTERS/Ralph Tedy Erol
Foto: Reuters

É possível reconhecê-lo como o homem conhecido no Haiti pelo pseudônimo Lamo Sanjou, o líder da gangue 400 Mawozo que autoridades dizem estar por trás do sequestro dos missionários no final de semana.

O grupo de 16 norte-americanos e um canadense, que inclui cinco crianças, fazia uma viagem organizada pela entidade Christian Aid Ministries, sediada no Estado norte-americano de Ohio. Os missionários não aparecem no vídeo.

A Reuters não conseguiu confirmar de maneira independente a veracidade do vídeo ou quando ele foi feito.

"Se não conseguir o que preciso, estes americanos, eu preferia matá-los todos, e descarregarei uma arma grande na cabeça de cada um deles", disse o homem no vídeo.

O ministro da Justiça haitiano, Liszt Quitel, disse à Reuters nesta semana que os sequestradores estão exigindo um milhão de dólares por pessoa para libertar os missionários.

O rapto dos religiosos atrai atenção global para o problema grave dos sequestros no Haiti, que piora em meio a uma crise política e econômica na nação caribenha que leva ao agravamento da violência.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade