0

Judiciário do Irã qualifica embaixador britânico de "indesejável"

14 jan 2020
10h59
  • separator
  • 0
  • comentários

O Judiciário do Irã disse nesta terça-feira que o embaixador do Reino Unido em Teerã é um "elemento indesejável", noticiou a mídia estatal, depois de autoridades iranianas acusarem o diplomata de comparecer a um protesto ilegal, o que ele nega.

Manifestantes protestam em Teerã em 13 de janeiro, em foto obtida pela Reuters em rede social
Manifestantes protestam em Teerã em 13 de janeiro, em foto obtida pela Reuters em rede social
Foto: Reuters

O Ministério das Relações Exteriores iraniano, que convocou o embaixador para prestar esclarecimento, seria responsável por qualquer medida para expulsar Rob Macaire, que ocupa o posto desde 2018.

"Com base nos regulamentos internacionais, o embaixador britânico no Irã é um elemento indesejável", disse o porta-voz do Judiciário, Gholamhossein Esmaili, a repórteres, quando indagado sobre o diplomata. Seus comentários foram veiculados pela televisão estatal.

Um clérigo radical e eminente do Irã também disse que expulsar o embaixador seria "a melhor coisa que pode acontecer com ele", já que apoiadores leais a um general morto por um ataque de drone dos Estados Unidos "fariam picadinho dele", disse o aiatolá Ahmad Alamolhoda em comentários publicados no site de notícias Eslahat.

Alamolhoda conduz as preces de sexta-feira em Mashhad, cidade sagrada dos muçulmanos xiitas situada no leste.

Macaire foi detido brevemente no domingo, o que autoridades iranianas disseram ter ocorrido por ele ter comparecido a uma manifestação ilegal que aconteceu em meio à revolta pública com a demora do Irã para admitir que derrubou um avião de passageiros.

O embaixador disse ter participado de uma vigília pelas vítimas do acidente, e Londres disse que sua detenção foi uma violação das convenções diplomáticas.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade