PUBLICIDADE

Jornalista morre em conflito entre forças afegãs e Taliban

Danish Siddiqui acompanhava desde o início desta semana as forças especiais afegãs baseadas em Candahar

16 jul 2021 08h41
| atualizado às 09h02
ver comentários
Publicidade

Danish Siddiqui, um jornalista da Reuters, foi morto nesta sexta-feira cobrindo um confronto entre forças de segurança do Afeganistão e combatentes do Taliban perto de uma passagem de fronteira com o Paquistão, disse um comandante afegão.

Jornalista da Reuters Danish Siddiqui posa para foto durante cerimônia de entrega do Prêmio Pullitzer, em Nova York
30/05/2018 REUTERS/Mohammad Ponir Hossain
Jornalista da Reuters Danish Siddiqui posa para foto durante cerimônia de entrega do Prêmio Pullitzer, em Nova York 30/05/2018 REUTERS/Mohammad Ponir Hossain
Foto: Reuters

Forças especiais afegãs lutavam para retomar a importante área comercial de Spin Boldak quando Siddiqui e uma autoridade afegã de alto escalão foram mortos no que testemunhas descreveram como fogo cruzado do Taliban, disse o funcionário à Reuters.

Siddiqui acompanhava desde o início desta semana as forças especiais afegãs baseadas em Candahar, uma província do sul, e cobria os combates entre comandos afegãos e combatentes do Taliban.

"Estamos buscado informações urgentemente, trabalhando com autoridades da região", disseram o presidente da Reuters, Michael Friedenberg, e a editora-chefe, Alessandra Galloni, em um comunicado.

"Danish era um jornalista excepcional, um marido e pai dedicado e um colega muito querido. Nossos pensamentos estão com sua família neste momento terrível."

Siddiqui havia dito à Reuters que sofreu um ferimento de estilhados no braço na manhã desta sexta-feira enquanto cobria o confronto. Ele foi tratado e estava se recuperando quando combatentes do Taliban recuaram dos combates em Spin Boldak.

Siddiqui conversava com lojistas quando o Taliban atacou novamente, segundo o comandante afegão.

A Reuters não conseguiu verificar de forma independente os detalhes da retomada dos combates descritos pela autoridade militar afegã, que pediu para não ser identificada antes de o Ministério da Defesa do Afeganistão emitir um comunicado.

Siddiqui fez parte da equipe de fotógrafos da Reuters que venceu o Prêmio Pulitzer de 2018 de Fotografia por documentar a crise dos refugiados rohingya.

O trabalho de Siddiqui, fotojornalista da Reuters desde 2010, incluiu cobrir as guerras do Afeganistão e do Iraque, a crise dos refugiados rohingya, os protestos de Hong Kong e terremotos no Nepal.

Combatentes do Taliban haviam capturado a área de fronteira na quarta-feira, a segunda maior passagem na divisa com o Paquistão e um dos objetivos mais importantes que atingiram durante um avanço rápido pelo país no momento em que as forças dos Estados Unidos se retiram.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade