0

Japão pode sofrer mais desastres climáticos, diz governo

Após chuvas torrenciais no país, que mataram 200 pessoas, porta-vozes reconhecem a necessidade de estudar medidas para reduzir danos

12 jul 2018
11h02
atualizado às 13h07
  • separator
  • comentários

Japão corre risco de sofrer mais eventos climáticos extremos e deve encontrar maneiras de reduzir desastres ambientais, disse um porta-voz do governo nesta quinta-feira, enquanto o calor intenso e a falta de água provocam temores de doenças entre os sobreviventes de enchentes e deslizamentos da semana passada.

Chuvas torrenciais no oeste do Japão causaram o pior desastre climático do país em 36 anos e mataram 200 pessoas, muitas em comunidades que existem há décadas em encostas de montanhas e áreas normalmente poucos afetadas pelas tempestades.

Chuvas torrenciais castigaram o Japão, provocando muitos danos e mortes no país
Chuvas torrenciais castigaram o Japão, provocando muitos danos e mortes no país
Foto: Reuters

Mas eventos climáticos extremos vêm assolando a nação com mais frequência nos últimos anos e provocando dúvidas sobre o impacto do aquecimento global. Dezenas de pessoas morreram em um desastre semelhante no ano passado.

"É um fato inegável que este tipo de desastre devido a chuvas torrenciais e inéditas está se tornando mais frequente nos últimos anos", disse o secretário-chefe de gabinete, Yoshihide Suga, em uma coletiva de imprensa em Tóquio.

Salvar vidas é a principal tarefa do governo, disse.

"Reconhecemos que existe a necessidade de estudar medidas que podemos adotar para reduzir os danos de desastres como este, nem que seja um pouco".

Ele não detalhou que medidas o governo pode adotar.

Mais de 200 mil casas estavam sem água uma semana após a tragédia, e vários milhares de pessoas estão desabrigadas.

Veja também:

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade