5 eventos ao vivo

Itália faz apelo para acesso a vacina ser 'universal e justo'

Premiê fez pedido a líderes mundiais durante cúpula do G20

22 nov 2020
13h37
atualizado às 14h43
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, aproveitou sua participação na cúpula do G20 neste domingo (22) para pedir que o acesso as futuras vacinas contra o novo coronavírus seja "universal e equitativo".

Premiê fez pedido a líderes mundiais durante cúpula do G20
Premiê fez pedido a líderes mundiais durante cúpula do G20
Foto: EPA / Ansa - Brasil

"Vamos nos comprometer a fazer face aos principais desafios relacionados com a emergência sanitária, com particular referência ao acesso universal e equitativo às vacinas e ao fortalecimento dos sistemas de saúde", afirmou.

Conte explicou que todas estas questões também serão desenvolvidas em sinergia com a Cúpula Global de Saúde que a Itália sediará no próximo ano, em colaboração com a Comissão Europeia e que envolverá todos os líderes das 20 maiores economias do mundo.

No discurso, premiê italiano enfatizou a importância da união, porque só é possível "construir um futuro melhor se trabalharmos juntos, unidos numa comunidade global de intenções forjadas num espírito de cooperação e solidariedade".

"Se há uma lição que aprendemos muito claramente nos últimos meses é que nenhum país pode vencer desafios globais sozinho. Esta pandemia expôs qualquer ambição de vencer sozinho", disse.

De acordo com Conte, o governo italiano não poupará esforços para garantir acesso igual para todos às vacinas, tratamentos e diagnósticos para a Covid-19, principalmente porque a "imunização extensiva é um bem público".

Por fim, ele ressaltou que no mundo atual, tão interligado e interdependente, o multilateralismo não é uma das muitas opções disponíveis, é a única opção sustentável.

Em paralelo ao G20, o diretor-geral da Agência Italiana de Medicamentos (Aifa), Nicola Magrini, falou sobre as vacinas anti-Covid e a campanha de vacinação na Itália.

A expectativa, segundo o especialista, é de vacinar 1,7 milhão de cidadãos da Itália com as primeiras doses disponíveis do imunizante da farmacêutica Pfizer, até a segunda quinzena de janeiro.

Veja também:

Maior edifício impresso em 3D da Europa está em construção
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade