PUBLICIDADE

Itália expressa preocupação com ações do Talibã contra afegãs

21 set 2021 17h23
ver comentários
Publicidade

O governo italiano está preocupado com as ações recentes do grupo fundamentalista islâmico Talibã, principalmente as que afetam os direitos humanos de mulheres e meninas.
    A declaração foi dada pelo ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, nesta terça-feira (21), após ele presidir um evento sobre a proteção das mulheres afegãs em Nova York, à margem da Assembleia Geral da ONU.
    "Estamos muito preocupados com as ações recentes do Talibã, em particular por aquelas que estão prejudicando os direitos humanos de mulheres e meninas", declarou Di Maio, prometendo que "a Itália será a primeira da fila na proteção desses direitos".
    O evento sobre o assunto contou com a presença de representantes de vários países e ativistas de direitos humanos, organizações da ONU e jovens mulheres que lutam pelos direitos do universo feminino.
    Segundo o ministro italiano, três linhas de ação foram identificadas: "levar adiante em todas as intervenções de direito humanitário uma seção dedicada à proteção dos direitos das mulheres; apoiar ativistas que lutam por esses direitos mesmo fora do Afeganistão; criar um mecanismo de monitoramento diário sobre a violação dos direitos".
    "Acredito que toda a comunidade internacional deve lutar para que os resultados dos últimos 20 anos não sejam perdidos", enfatizou Di Maio, lembrando que a escolaridade feminina ultrapassou os 90%.
    A Itália preside o G20 em 2021 e vem tentando emplacar uma cúpula de líderes sobre a crise afegã desde meados de agosto, mas ainda não conseguiu acertar a reunião com os parceiros na aliança. A expectativa é que a reunião aconteça após a Assembleia Geral da ONU.
    "O G20 dedicado ao Afeganistão proposto pelo [premiê Mario] Draghi é uma oportunidade importante para manter os holofotes naquele país. Não podemos nos dar ao luxo de fechá-los diante das notícias que chegam sobre a violação dos direitos das mulheres, no risco de novas ameaças terroristas", ressaltou o político do Movimento 5 Estrelas (M5S).
    Após o encontro de hoje, Di Maio explicou ainda que o governo italiano "nunca deixou de trabalhar nas evacuações do Afeganistão" e as transferências também se realizam através dos países vizinhos que visitou recentemente.
    Nesta quarta-feira (22), o chanceler italiano presidirá uma reunião ministerial extraordinária sobre o Afeganistão nos Estados Unidos.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade