4 eventos ao vivo

Itália barra 'universidade populista' de Steve Bannon

Governo vai revogar concessão de abadia perto de Roma

31 mai 2019
15h07
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Ministério dos Bens Culturais da Itália abriu nesta sexta-feira (31) um procedimento para revogar a concessão de um antigo mosteiro no centro do país para Steve Bannon, ex-estrategista-chefe de Donald Trump, montar uma espécie de "universidade da extrema direita".

Após romper com Trump, Bannon virou guru da extrema direita europeia
Após romper com Trump, Bannon virou guru da extrema direita europeia
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O Instituto Dignitatis Humanae, fundado pelo britânico ultraconservador Benjamin Harnwell, alugara a Abadia de Trisulti, em Collepardo, na região do Lazio, para criar uma escola internacional de "soberanismo".

O Ministério dos Bens Culturais da Itália, no entanto, iniciou um procedimento para suspender a concessão, com o objetivo de "proteger a administração pública das criticidades apontadas em relação à legitimidade da concessão".

"A Advocacia do Estado identificou a existência de todas as condições para realizar a anulação, em consequência da violação de diversas obrigações contratuais", diz uma nota do Ministério dos Bens Culturais, chefiado por Alberto Bonisoli, do partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S).

"A Abadia de Trisulti voltará aos cidadãos e não se tornará nunca uma escola política para soberanistas", comemorou a presidente da associação Comunità Solidali, Daniela Bianchi, que liderou a batalha contra a escola de Bannon e coletou milhares de assinaturas para pressionar o governo.

A decisão de revogar a concessão foi tomada porque o Instituto Dignitatis Humanae não tem como objetivo estatutário a valorização da cultura nem comprovara experiência na gestão de imóveis culturais, duas exigências para assumir a abadia.

Além disso, a associação não pagou a taxa de concessão nem honrou com custos de manutenção e vigilância. A iniciativa era coordenada por Bannon, o guru de extrema direita de Trump, mas que rompeu com o presidente após sua chegada à Casa Branca.

Seu objetivo era fundar uma espécie de universidade para "formar" lideranças nacionalistas e montar uma estratégia para disseminar o ultraconservadorismo religioso e político pela Europa. Após se afastar de Trump, Bannon fortaleceu laços com a extrema direita europeia, como o italiano Matteo Salvini e a francesa Marine Le Pen, e também se aproximou da família Bolsonaro.

Veja também:

O menino cego de 9 anos que dá aula em escola destruída pela guerra no Iêmen
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade