0

Itália autoriza entrada de 31 migrantes por motivos médicos

O ministro do Interior Matteo Salvini criticou a decisão

2 set 2019
14h14
atualizado às 14h32
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Itália autorizou nesta segunda-feira (2) o desembarque de 31 migrantes que estavam há cinco dias a bordo do navio Mare Jonio, da ONG Mediterranea Saving Humans.

Migrantes a bordo do navio Mare Jonio
Migrantes a bordo do navio Mare Jonio
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Os deslocados internacionais faziam parte de um grupo de 98 pessoas resgatadas no Mediterrâneo no último dia 28 de agosto, das quais 67 já haviam recebido permissão para desembarcar por motivos de saúde.

"Acabam de nos comunicar que a Guarda Costeira fará o desembarque, por 'motivos sanitários', das últimas 31 pessoas a bordo do Mare Jonio. A odisseia terminou, e no horizonte é possível ver um pouco de humanidade", diz um comunicado da ONG.

Não está claro quem autorizou o desembarque, já que o vice-premier e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, ainda responsável pelas políticas migratórias do país, criticou a medida em seu perfil no Facebook.

"Mas que belo clima de um governo guiado pelo PD. Migrantes desembarcados por 'emergência sanitária'... Eles pensam que os italianos são tontos?", escreveu Salvini, em referência às negociações entre seu ex-aliado Movimento 5 Estrelas (M5S) e o Partido Democrático (PD) para tirar a ultranacionalista Liga do governo.

A decisão foi tomada após uma inspeção de médicos do Ministério da Saúde no Mare Jonio. A notícia foi recebida com muita festa por parte dos migrantes, alguns deles em condições precárias por causa de problemas como sarna e depressão.

Veja também:

Explosão em Beirute arranca repórter de cadeira em entrevista ao vivo
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade