PUBLICIDADE

Irmão de jovem desaparecida no Vaticano faz apelo a Bento XVI

Emanuela Orlandi sumiu sem deixar pistas há 37 anos

22 jun 2020 16h35
| atualizado às 16h59
ver comentários
Publicidade

O irmão de Emanuela Orlandi, Pietro, fez um apelo nesta segunda-feira (22) ao papa emérito Bento XVI para que ele fale sobre o caso de desaparecimento de sua irmã, ocorrido há exatos 37 anos.

Sumiço de Emanuela Orlandi é um mistério há 37 anos
Sumiço de Emanuela Orlandi é um mistério há 37 anos
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

"O meu apelo é para [Joseph] Ratzinger, que ainda veste a roupa branca, é ainda o papa Bento XVI e que era muito próximo a João Paulo II. Agora, que ele tem 93 anos e se aproxima do Senhor, se ele sabe alguma coisa, que diga. Que tenha um pouco de consciência e diga. Que não leve segredos para a tumba como [Karol] Wojtyla", disse Orlandi à ANSA.

Para ele, o pedido "por justiça e pela verdade" para Ratzinger e não para o papa Francisco se deve ao fato de que ele sabe que o atual Pontífice "não tem relação com o caso de Emanuela".

Orlandi desapareceu aos 15 anos, em 1983, enquanto voltava para casa. Ela era filha de um funcionário da Santa Sé e morava dentro dos muros do pequeno país.

Inúmeras hipóteses já foram levantadas sobre o seu sumiço - desde um crime comum até a vingança contra seu pai ou até mesmo contra o Vaticano.

No entanto, até hoje, nunca se soube o que aconteceu com a jovem. Em abril deste ano, a Igreja Católica arquivou um inquérito que apurava se ossadas encontradas em um imóvel da própria instituição pertenceriam a jovem. No entanto, foi constatado que os ossos eram anteriores ao século 19.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade