2 eventos ao vivo

Índia reforça segurança em forte histórico, mas agricultores prometem manter protestos

27 jan 2021
11h33
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Centenas de policiais protegiam o histórico Forte Vermelho, situado no coração da capital da Índia, nesta quarta-feira na esteira de confrontos violentos entre agricultores e autoridades nos quais uma pessoa morreu e ao menos 80 ficaram feridas.

Policiais fazem guarda em frente ao Forte Vermelho em Délhi, na Índia
27/01/2021 REUTERS/Adnan Abidi
Policiais fazem guarda em frente ao Forte Vermelho em Délhi, na Índia 27/01/2021 REUTERS/Adnan Abidi
Foto: Reuters

Dezenas de milhares de agricultores, que protestam contra reformas do setor agrícola que dizem que beneficiarão grandes proprietários particulares à custa dos lavradores, estão acampados nos arredores da cidade há dois meses.

Um protesto com um desfile de tratores realizado nas cercanias da capital para coincidir com as comemorações do Dia da República, na terça-feira, tornou-se caótico quando alguns agricultores divergiram das rotas combinadas, rompendo barricadas e se chocando com a polícia, que usou gás lacrimogêneo e porretes para tentar contê-los.

Munidos de espadas cerimoniais, alguns agricultores chegaram até o Forte Vermelho, onde o primeiro-ministro, Narendra Modi, faz um discurso anual, escalando os muros externos e erguendo bandeiras.

Até a noite de terça-feira, a polícia havia retirado os manifestantes do complexo do forte, mas uma grande presença de seguranças permanecia nesta quarta-feira.

A agricultura emprega cerca de metade da população indiana de 1,3 bilhão de pessoas, e uma revolta entre os estimados 150 milhões de agricultores proprietários de terras é um dos maiores testes enfrentados por Modi desde que chegou ao poder, em 2014.

Veja também:

Harry revela presente de Natal da rainha Elizabeth a Archie
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade