PUBLICIDADE

Igreja do Canadá doará US$30 milhões para vítimas de abusos

A verba será destinada a iniciativas para apoiar sobreviventes de abusos em escolas indígenas

28 set 2021 16h26
| atualizado às 16h58
ver comentários
Publicidade

Os bispos da Igreja Católica do Canadá prometeram nesta segunda-feira (28) doar 30 milhões de dólares canadenses para apoiar iniciativas em favor dos sobreviventes de abusos em escolas indígenas, após emitirem um pedido formal de desculpas na semana passada.  

A expectativa é de que os "esforços apoiem projetos significativos em todo o Canadá e façam uma diferença significativa na abordagem do trauma histórico e contínuo causado pelo sistema escolar residencial". 

Ao todo, mais de mil covas foram localizadas em escolas indígenas no Canadá
Ao todo, mais de mil covas foram localizadas em escolas indígenas no Canadá
Foto: ANSA / Ansa

Segundo comunicado, os recursos serão liberados ao longo dos próximos cinco anos para "remediar o sofrimento causado pelos internatos no Canadá". "Este esforço ajudará a apoiar programas e iniciativas dedicadas a melhorar a vida dos sobreviventes de escolas residenciais e suas comunidades, garantindo os recursos necessários para ajudar no caminho da cura", garantiu o bispo Raymond Poisson, presidente da Conferência Canadense de Bispos Católicos (CCCB), na nota.

Os bispos do Canadá se comprometeram e se encarregaram de desenvolver os princípios e estratégias nacionais, cronogramas e a comunicação pública dessas iniciativas coletivas em novembro deste ano, além de articular a importância de trabalhar junto com os povos indígenas.

"Não há uma única etapa que possa eliminar a dor sentida pelos sobreviventes de escolas residenciais, mas ouvindo, buscando relacionamentos e trabalhando colaborativamente onde podemos, esperamos aprender como caminhar juntos em um novo caminho de esperança", acrescentou o bispo William McGrattan, vice-presidente do CCCB.

Na sexta-feira passada, os bispos já haviam expressado seu "profundo remorso" e ofereceram "suas desculpas inequívocas" aos povos indígenas após a descoberta nos últimos meses de mais de mil túmulos não identificados perto de antigos internatos administrados pela Igreja Católica.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade