PUBLICIDADE

Hospitais lotados levam Força Aérea alemã a transferir pacientes de Covid

26 nov 2021 10h27
ver comentários
Publicidade

A Alemanha preparou sua Força Aérea para transferir pacientes de Covid-19 de hospitais sobrecarregados do sul agora que os casos nacionais dispararam e uma nova variante detectada na África do Sul causou alarme generalizado.

Equipe médica em aeronave da Força Aérea alemã em Memmingen, na Alemanha
26/11/2021 REUTERS/Lukas Barth
Equipe médica em aeronave da Força Aérea alemã em Memmingen, na Alemanha 26/11/2021 REUTERS/Lukas Barth
Foto: Reuters

A Alemanha registrou uma queda na taxa de infecção de coronavírus ao longo do verão, mas os casos aumentaram acentuadamente nas últimas semanas e as novas infecções diárias atingiram um recorde superior a 76 mil nesta sexta-feira.

Na quinta-feira, a maior economia europeia cruzou a marca de 100 mil mortes relacionadas à Covid-19 em meio a alertas de hospitais, principalmente no sul e no leste, de que suas unidades de tratamento intensivo estão ficando lotadas.

Ainda nesta sexta-feira, a Força Aérea transportará pacientes de Covid-19 gravemente doentes da cidade de Memmingen, no sul, para Muenster, próxima de Osnabrueck, no norte, disse uma fonte de segurança à Reuters.

Será a primeira vez que a Força Aérea usa aviões adaptados para até seis leitos de UTI, rotulados como "unidades de tratamento intensivo voadoras", para transferir pacientes de Covid-19 dentro do país.

A detecção da nova variante na África do Sul aumentou os receios com os números de infecções crescentes. O ministro da Saúde interino, Jens Spahn, disse que o governo declarará o país africano uma "área de variante do vírus" também nesta sexta-feira.

A decisão, que entrará em vigor a partir da noite desta sexta-feira, significa que as empresas aéreas só poderão transportar alemães da África do Sul de volta para casa, tuitou Spahn, e todos terão que ficar em quarentena durante 14 dias.

Temores a respeito do impacto da nova variante causaram nervosismo nos mercados financeiros.

Annalena Baerbock, uma das líderes do partido Verdes e a próxima ministra das Relações Exteriores, disse à revista Spiegel que nem uma exigência de vacinação para toda a população, nem um novo lockdown pode ser descartado.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade