PUBLICIDADE

Homenagens marcam 10º aniversário de terremoto na Itália

Fenômeno matou 27 pessoas e deixou milhares de deslocados

20 mai 2022 08h28
| atualizado às 08h40
ver comentários
Publicidade

A Itália recordou nesta sexta-feira (20) o 10º aniversário de um terremoto que devastou várias cidades da região da Emilia-Romagna, em 2012. Além de ter causado a morte de 27 pessoas, o abalo sísmico deixou 300 feridos e milhares de desabrigados.

Processo de reconstrução das cidades afetadas pelos terremotos seguem em curso na região
Processo de reconstrução das cidades afetadas pelos terremotos seguem em curso na região
Foto: Ansa / Ansa - Brasil

O presidente da Itália, Sergio Mattarella, e outras autoridades regionais marcaram presença no teatro Facchini, em Medolla, para participarem das comemorações oficiais do aniversário do terremoto. O pequeno município foi o epicentro do segundo abalo sísmico que atingiu a Emilia-Romagna em 29 de maio de 2012.

De acordo com um levantamento feito pela região, os danos econômicos provocados pelo terremoto foram estimados em pouco mais de 12 bilhões de euros. O governador da Emilia-Romagna, Stefano Bonaccini, declarou que quase 95% de tudo que foi danificado acabou sendo reconstruído.

"Foi uma reconstrução exemplar e uma extraordinária capacidade de reação. Ainda falta algumas coisas mais complicadas, porque são edifícios, castelos, fortalezas e centros históricos, tudo isso necessita de um cuidado diferenciado. Implementamos algumas medidas, outras que o governo colocou em prática, mas queremos ter confiança de que podemos nos recuperar rapidamente", declarou Bonaccini.

Na opinião do governador, o processo de reconstrução das cidades destruídas pelos abalos sísmicos mostrou a vontade de manter a comunidade "intacta".

"Decidimos não criar novas cidades, mas arriscar levar mais alguns anos e garantir que as pessoas voltem a viver exatamente como antes", afirmou o político.

Segundo um balanço da Emilia-Romagna, foi concedido quase 6,5 bilhões de euros em subsídios, destinados para famílias e empresas nas áreas afetadas pelos terremotos. Deste valor, mais de cinco bilhões de euros já foram liquidados.

Ao longo dos anos, 17,5 mil residências foram restauradas e 27 mil pessoas puderam voltar para suas antigas moradias. Além disso, 570 escolas foram revitalizadas, 6 mil pequenas empresas acabaram sendo reabilitadas e 3,5 mil corporações industriais e agrícolas renovadas.

O fenômeno teve início durante a noite entre 19 e 20 de maio de 2012, sendo Finale Emilia, na província de Modena, o epicentro do abalo sísmico de magnitude 5,9. Menos de 10 dias depois, outro terremoto de magnitude 5,8 atingiu a região.

Além de Modena, diversas cidades das províncias de Bolonha, Ferrara e Reggio Emilia foram afetadas pelos dois terremotos.

"Não havia quase nada montado quando começados, construímos uma estrada que certamente foi útil para o país. Quando um terremoto chega, ele atinge um território que tem sua própria cultura, população, características econômicas e sociais. É preciso ter flexibilidade e capacidade de interpretar aquela área atingida, caso contrário, é difícil reconstruir. O que sempre me comoveu foi a reação das pessoas,", disse Vasco Errani, ex-governador da Emilia-Romagna e que estava em exercício na época dos terremotos. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade