PUBLICIDADE

Homem mata família e se suicida por conta de passe de vacina falso, diz promotor alemão

7 dez 2021 11h43
ver comentários
Publicidade

Um homem que matou sua esposa e três filhos pequenos antes de tirar a própria vida havia falsificado um certificado de vacinação e temeu que seus filhos fossem tirados dele quando a fraude fosse descoberta, disse um promotor alemão nesta terça-feira.

Perito forense coleta evidências na parte de fora da casa de uma família após polícia encontrar dois adultos e três crianças mortos em Berlim, na Alemanha
04/12/2021 REUTERS/Christian Mang
Perito forense coleta evidências na parte de fora da casa de uma família após polícia encontrar dois adultos e três crianças mortos em Berlim, na Alemanha 04/12/2021 REUTERS/Christian Mang
Foto: Reuters

A polícia encontrou dois adultos, ambos com 40 anos, e três crianças de quatro, oito e dez anos mortos baleados em uma casa em Koenigs Wusterhausen, ao sul de Berlim, no sábado.

Em nota de despedida encontrada pela polícia, o homem disse que falsificou um certificado de vacinação para sua esposa. Seu empregador descobriu, levando o casal a temer ser preso e perder a guarda de seus filhos, disse o promotor Gernot Bantleon à Reuters.

A polícia foi chamada à residência depois de ser alertada por testemunhas que viram os corpos sem vida na casa, disseram promotores e a polícia no sábado.

O caso trágico ocorre no momento em que a Alemanha vem aumentando as restrições para tentar conter uma quarta onda da pandemia de coronavírus. Desde o mês passado, empregados têm sido obrigados a apresentar comprovante de vacinação, recuperação ou teste negativo para a Covid-19.

Autoridades alemãs concordaram na semana passada em impedir o acesso de pessoas não vacinadas a todos os comércios, exceto os mais essenciais, como supermercados, farmácias e padarias, e também planejam tornar a vacinação obrigatória para alguns trabalhos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade