PUBLICIDADE

Homem da Flórida é condenado a 8 meses de prisão por ataque ao Capitólio dos EUA

19 jul 2021 21h05
ver comentários
Publicidade

Um juiz federal dos Estados Unidos sentenciou Paul Hodgkins, um homem do Estado da Flórida, a oito meses de prisão por participação no ataque de 6 de janeiro ao Capitólio em Washington, tornando-o a primeira pessoa entre mais de 500 acusadas a ser condenada à prisão pelo violento ataque.

Apoiadores do ex-presidente norte-americano Donald Trump protestando em Washington, EUA
06/01/2021 REUTERS/Shannon Stapleton/Foto de Arquivo
Apoiadores do ex-presidente norte-americano Donald Trump protestando em Washington, EUA 06/01/2021 REUTERS/Shannon Stapleton/Foto de Arquivo
Foto: Reuters

Hodgkins, de 38 anos, se declarou culpado no dia 2 de junho em uma acusação de obstrução de um procedimento oficial, já que o Congresso estava em sessão para certificar formalmente a eleição de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos quando apoiadores do então presidente Donald Trump invadiram o prédio.

Procuradores haviam solicitado ao juiz distrital Randolph Moss a imposição de uma sentença de 18 meses na prisão. O advogado de Hodgkins, Patrick Leduc, fez um apelo para que seu cliente não fosse condenado à prisão.

Durante a audiência de sentença, Hodgkins disse a Moss que está "arrependido" de suas ações e reconheceu que sua conduta pode ter encorajado outros a participarem de atos destrutivos.

"Foi uma decisão tola de minha parte e eu assumo a total responsabilidade por ela", acrescentou Hodgkins, que é morador da cidade de Tampa e trabalha como operador de guindastes para uma companhia siderúrgica.

Até agora, 17 pessoas se declararam culpadas em acusações relacionadas ao incidente, afirmou uma autoridade norte-americana.

A procuradora Mona Sedky disse ao juiz que Hodgkins vestiu óculos de proteção antes de adentrar o plenário do Senado durante a invasão e "posou orgulhosamente para fotos", que foram compartilhadas com amigos. Sedky reconheceu que Hodgkins não destruiu propriedade do governo e "não feriu ninguém".

Moss concordou que Hodgkins não havia sido violento, não ameaçou ninguém e não organizou o ataque ao Capitólio. Mas o juiz disse que Hodgkins foi ao Capitólio "para impedir a certificação da eleição, e ele admitiu isso".

Mais de 535 pessoas foram acusadas de participar do ataque, que aconteceu após acusações falsas e repetidas de Trump de que a eleição havia sido roubada dele por meio de fraudes generalizadas.

Hodgkins se tornou a primeira pessoa enfrentando acusações ligadas ao ataque a ser condenada à prisão. A outra pessoa que foi condenada até agora por acusações relacionadas à invasão, Anna Morgan-Lloyd, do Estado de Indiana, se declarou culpada de mau comportamento e recebeu três anos de condicional.

Vários outros réus no caso estão enfrentando acusações criminais mais sérias do que Hodgkins, e potencialmente sentenças mais longas.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade