0

Grávida salva marido de ataque de tubarão na Flórida

Margot Dukes-Eddy disse que não hesitou em pular no mar quando viu o sangue do marido brotar na água.

24 set 2020
16h47
atualizado às 16h48
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Tubarão de dois ou três metros foi visto por testemunhas no mesmo dia do incidente
Tubarão de dois ou três metros foi visto por testemunhas no mesmo dia do incidente
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Uma mulher grávida mergulhou no mar do arquipélago de Florida Keys, no Estado americano da Flórida, para salvar o marido de um ataque de tubarão.

Segunda a polícia, Andrew Charles Eddy, de 30 anos, fazia mergulho com snorkel nos recifes de coral de Sombrero no domingo (20/9) quando foi mordido pelo animal, quase imediatamente após entrar na água.

Margot Dukes-Eddy, sua esposa, viu a barbatana dorsal do tubarão e o sangue de Andrew na água, quando decidiu "sem hesitar" pular para tentar resgatá-lo, conforme o relato das autoridades locais.

Ela conseguiu levar o marido a um local seguro, e familiares ligaram para a emergência.

Andrew foi resgatado de helicóptero e levado a um hospital em Miami, onde recebeu tratamento para os ferimentos graves que tinha no ombro.

Um dos profissionais que atuaram no resgate, Ryan Johnson, disse à imprensa local que o homem estava em "situação crítica" quando a equipe chegou.

Perigo na região

O casal, natural do Estado da Geórgia, passava férias na Flórida com a família e havia alugado um barco privativo para conhecer a região.

Algumas pessoas do grupo já estavam na água quando Andrew entrou. O relatório policial aponta ainda que havia outro banhistas na mesma área.

Testemunhas disseram ter avistado mais cedo naquele dia um grande tubarão de dois ou três metros de comprimento que parecia ser um tubarão-cabeça-chata (conhecido como "bull shark" em inglês).

A Flórida registra o maior número de ataques de tubarão a humanos no mundo — ainda que ataques de tubarão sejam considerados eventos bastante raros de maneira geral. Foram 21 em 2019, segundo o Florida Museum.

Veja também:

Último debate entre Trump e Biden tem tom mais ameno, mas com troca de acusações; veja destaques
BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade