PUBLICIDADE

Ex-senador italiano é condenado à prisão por associação mafiosa

Antonio D'Ali, da sigla de direita Força Itália, pegou 6 anos

21 jul 2021 12h43
| atualizado às 12h55
ver comentários
Publicidade

A Corte de Apelação de Palermo condenou o ex-senador pelo partido de direita Força Itália e subsecretário do Interior do governo de Silvio Berlusconi, Antonio D'Ali, a seis anos de prisão por associação mafiosa.

Antonio D'Ali foi condenado a 6 anos de prisão por associação mafiosa
Antonio D'Ali foi condenado a 6 anos de prisão por associação mafiosa
Foto: Arquivo/ANSA / Ansa - Brasil

A decisão foi tomada após um novo processo já que, em setembro de 2016, o Tribunal de Cassação, a mais alta instância judicial do país, havia anulado o primeiro julgamento e reenviado o caso para a segunda instância. Ainda conforme a decisão do Supremo, poderia apenas ser analisada a denúncia referente a crimes ocorridos depois de 1994 - os demais, prescreveram.

A Procuradoria acusava D'Ali de ter "contribuído com a manutenção e o reforço da Cosa Nostra, colocando à disposição dos chefes mafiosos seus próprios recursos econômicos e, sucessivamente, o próprio papel institucional de senador da República".

Os promotores pediam uma pena de sete anos e quatro meses de prisão porque consideravam que D'Ali teve relações tanto com castas do grupo mafioso como com expoentes da Cosa Nostra, como o fugitivo Matteo Messina Denaro (foragido da Justiça há mais de 30 anos). O objetivo era "dar apoio eleitoral às famílias" mafiosas.

Além da detenção, a Corte determinou ainda o ressarcimento às partes civis e o declarou impedido de assumir qualquer função pública por três anos.

D'Ali, que tem atualmente 70 anos, foi senador ininterruptamente entre os anos de 1994 e 2018 e atuou no Ministério do Interior entre 2001 e 2006, durante o segundo governo de Berlusconi. Ele também chegou a ser o líder da província de Trapani, entre 2006 e 2008. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade