3 eventos ao vivo

Ex-premiê da Itália e populistas debatem futuro do M5S

Partido pode conceder liderança para Giuseppe Conte

28 fev 2021
12h29
atualizado em 1/3/2021 às 09h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ex-primeiro-ministro da Itália Giuseppe Conte se reuniu neste domingo (28) com as lideranças do Movimento 5 Estrelas (M5S), em um hotel em Roma, para debater a futura estrutura do partido populista.

Segundo relatos, o encontro terminou "positivamente" e um papel "ad hoc" dentro do movimento populista estaria pronto para ser designado a Conte.

A cúpula contou com a presença do fundador do M5S, o humorista Beppe Grillo, do líder político Vito Crimi, do presidente da Câmara dos Deputados, Roberto Fico, além do chanceler Luigi Di Maio, da senadora Paola Taverna, e dos deputados Alfonso Bonafede e Riccardo Fraccaro.

Em comunicado, o M5S, dono da maior bancada no Parlamento da Itália, informou que Conte aceitou o convite para ajudar o partido a se reestruturar.

?Giuseppe Conte aceitou o convite para elaborar nos próximos dias um projeto de refundação com o Movimento 5 Estrelas?, diz uma nota no perfil oficial da sigla no Facebook, que classifica o momento como ?um desafio crucial?.

A expectativa é de que seja realizada uma ?reestruturação integral para transformar o M5S em uma força política cada vez mais aberta à sociedade civil, capaz de se tornar uma referência central no quadro político atual e de ter um papel decisivo até 2050?.

O comunicado ainda informa que o partido populista ?será o motor da transição ecológica e digital, apoiando-se em pilares insubstituíveis, aqueles valores originais que sempre o distinguiram?.

Entre os valores estão a proteção do ambiente, a importância da ética pública, a luta contra a corrupção, o combate contra as desigualdades de gênero e territoriais, além da luta contra os rendimentos e privilégios de cargos, a participação mais ampla dos cidadãos na vida democrática por meio de fortalecimento das instituições de democracia direta.

Nos últimos dias, o grupo já estava discutindo confiar a liderança do partido ao ex-premiê italiano, depois que a legenda populista ficou dividida sobre a decisão de ratificar o governo do ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) Mario Draghi. A falta de apoio ao economista provocou a expulsão de membros da sigla.

Para ministro da Agricultura, Stefano Patuanelli, "Giuseppe Conte é o líder natural do Movimento" porque é "o único capaz de nos unir".

Além disso, conceder a liderança do partido para ele está correto "não só pelo que fez nestes três anos como primeiro-ministro, mas seguindo um raciocínio que enfoca a trajetória do movimento nesta legislatura". "O M5S deixou de ser uma força de oposição a uma força central sobre a qual construir três governos. Essa passagem não tem volta", afirmou.

De acordo o ministro, o movimento agora "precisa de uma fase constituinte" e "o que importa é que Giuseppe seja central". 

Veja também:

'A melhor vacina é a disponível': Por que não se pode comparar os imunizantes contra covid-19
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade