0

Ex-ministro norueguês é condenado por abusar de refugiados

Svein Ludvigsen foi sentenciado a 5 anos de prisão

5 jul 2019
16h59
atualizado às 18h26
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ex-ministro norueguês Svein Ludvigsen foi condenado a cinco anos de prisão por abusar sexualmente durante vários anos de três jovens refugiados que pediam asilo no país, informou o Ministério Público da Noruega, citada pela "BBC".
    De acordo com a sentença publicada no início desta semana, de 2011 a 2017, Ludvigsen, que era governador de Tromso, oferecia residência e trabalho para os três jovens em troca de favores sexuais. Atualmente com 25, 26 e 34 anos de idade, as vítimas, cuja nacionalidade não foi revelada, relataram que os abusos ocorriam em sua casa, no escritório ou em um quarto de hotel. Elas ainda eram ameaçadas de expulsão imediata em caso de recusa. O político, de 72 anos, foi acusado de aproveitar-se da situação dos três homens, sendo que um era menor de idade e outro havia sido diagnosticada com leve retardo mental. Ludvigsen foi ministro das Pescas de 2001 a 2005 e assumiu o cargo de governador de Troms, um condado norueguês situado no norte do país, entre 2006 e 2014, quando deixou a política. Apesar de sempre ter negado as acusações em tribunal, o ex-governador chegou a admitir que teve relações sexuais apenas com um dos homens e de forma consensual. Ele ainda afirmou que irá recorrer da decisão.
    Além da prisão, Ludvigsen foi condenado a pagar indenização aos três imigrantes, uma valor total de 743 mil coroas norueguesas.
    "É uma sentença importante, foi um enorme abuso de poder", comentou o secretário-geral da organização norueguesa para requerentes de asilo, Ann-Magrit Austena à BBC.
    Segundo dados do Conselho Europeu para refugiados e exilados, a Noruega recebeu 2.654 pedidos de asilo em 2018, sendo a maioria sírios.

Ex-ministro norueguês é condenado por abusar de refugiados
Ex-ministro norueguês é condenado por abusar de refugiados
Foto: EPA / Ansa - Brasil

Veja também:

Cadeirante escala arranha-céu em Hong Kong em troca de doações para caridade
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade