3 eventos ao vivo

Evo Morales está na Argentina como refugiado, diz ministro

12 dez 2019
11h15
atualizado às 12h45
  • separator
  • 0
  • comentários

O ex-presidente da Bolívia Evo Morales está na Argentina na condição de refugiado, informou o ministro argentino das Relações Exteriores, Felipe Sola, nesta quinta-feira (12). Morales esteve anteriormente no México, onde recebeu asilo após o colapso de seu governo, em novembro, em decorrência de uma polêmica reeleição.

Ex-presidente da Bolívia Evo Morales durante entrevista à Reuters na Cidade do México
15/11/2019
REUTERS/Edgard Garrido
Ex-presidente da Bolívia Evo Morales durante entrevista à Reuters na Cidade do México 15/11/2019 REUTERS/Edgard Garrido
Foto: Reuters

A chegada de Morales à Argentina ocorre apenas dois dias depois da posse do novo presidente argentino, Alberto Fernández. Quando Morales renunciou, o então candidato presidencial Fernández disse que foi um "golpe" contra o então presidente.

"Queremos que Evo Morales se comprometa a não fazer declarações políticas na Argentina", disse Sola, acrescentando que quatro outras pessoas também solicitaram asilo.

Morales renunciou ao cargo de presidente em 10 de novembro, depois que a Organização dos Estados Americanos (OEA) declarou que havia sérias irregularidades no processo eleitoral de 20 de outubro. O Exército o pressionou a renunciar.

O boliviano recebeu asilo no México logo depois de sua saída. Ele viajou a Cuba na semana passada para uma consulta médica, disse um ex-funcionário de seu governo à Reuters na época.

"Tive uma conversa ontem com Evo Morales, que me informou de sua decisão de se mudar para Buenos Aires. Ele agradeceu a generosidade do povo e do governo do México", tuitou o ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, na quinta-feira.

Sola disse que não há reunião planejada entre Morales e Fernández, mas que eles podem conversar por telefone.

Veja também:

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade