0

Separatistas catalães ficam ao lado de Gibraltar contra a Espanha

13 ago 2013
13h13
atualizado às 13h42

Um dos principais partidos pró-independência na região da Catalunha, no norte da Espanha, aumentou a rixa crescente do país com a Grã-Bretanha por causa de Gibraltar depois de expressar solidariedade com os moradores "intimidados" no território britânico.

O partido separatista Esquerra Republicana (ERC), um parceiro menor da coalizão no governo regional catalão, escreveu ao ministro-chefe de Gibraltar, Fabian Picardo, lamentando o comportamento "impróprio" do governo central da Espanha.

As tensões sobre o posto avançado britânico no extremo sul da Espanha aumentaram no final de julho por causa de uma disputa sobre direitos de pesca e controles fronteiriços, e chegaram agora ao nível mais alto em anos.

Embora o apoio catalão à posição de Gibraltar não deva ter nenhuma influência no resultado das negociações entre Grã-Bretanha e Espanha, a carta é uma lembrança das rixas políticas que o governo espanhol enfrenta --e do risco de que sua postura dura sobre Gibraltar o prejudique em casa.

"Lamentamos profundamente a intimidação imprópria e o assédio que o governo espanhol está aplicando sobre os cidadãos que vocês representam democraticamente... a fim de desviar a atenção de seus próprios escândalos políticos e financeiros", disse Alfred Bosch, líder do ERC no Parlamento espanhol, em uma carta dirigida a Picardo.

A carta, escrita em inglês e catalão, datava de 12 de agosto, mas foi divulgada para a mídia na terça-feira.

O esquerdista ERC dobrou sua presença no Parlamento catalão em novembro, depois de atrair 14 por cento dos votos em uma eleição regional.

Bosch é conhecido por suas opiniões diretas e pela postura combativa sobre a independência catalã --a qual o governo central da Espanha se opõe fortemente.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, e seu Partido Popular, de centro-direita, já foram acusados por outros partidos da oposição de usarem a rixa com Gibraltar para desviar os espanhóis das tormentas econômicas e do escândalo de corrupção.

O conflito se intensificou de tal maneira que a Grã-Bretanha advertiu a Espanha na segunda-feira de que poderia tomar ações legais para tentar forçar Madri a abandonar os controles mais rígidos na fronteira com Gibraltar.

Bosch relacionou a situação de Gibraltar à enfrentada pelos catalães, onde muitos partidos estão pressionando por um referendo sobre o futuro do território.

"Estamos convencidos de que a única solução para a questão da Rocha, assim como para a questão da Catalunha, é através do diálogo, do sufrágio e do princípio da autodeterminação", escreveu Bosch.

"A sua liberdade é a nossa liberdade", acrescentou.

(Reportagem de Sarah White)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade
publicidade