0

Putin aceita indicação para concorrer ao Kremlin em 2012

27 nov 2011
08h40
atualizado às 13h42

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, declarou neste domingo diante de 11 mil delegados de seu partido, Rússia Unida, que aceitava sua proposta de ser candidato às eleições presidenciais do dia 4 de março. Na ocasião, Putin, acusou países estrangeiros neste domingo, afirmando que eles "têm tentado interferir" nas eleições russas, num discurso feito a uma semana das legislativas. Segundo Putin, países estrangeiros pagam organizações não-governamentais na Rússia "para que estas influenciem a campanha eleitoral do país", o que considerou como sendo um "trabalho inútil, dinheiro atirado pela janela".

Putin discursa durante congresso do partido Rússia Unida; premiê vai ser candidato à presidência em 2012
Putin discursa durante congresso do partido Rússia Unida; premiê vai ser candidato à presidência em 2012
Foto: AP

"Seria preferível que utilizassem esse dinheiro para pagar o déficit de seu país e deixassem de gastar dinheiro com políticas estrangeiras custosas e ineficazes", disse ele em uma aparente referência aos países europeus e aos Estados Unidos. "Todos nossos interlocutores estrangeiros devem compreender que a Rússia é um país democrático, um interlocutor de confiança, um associado previsível com o qual se pode chegar a um acordo", disse.

Em outubro, a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) disse ter sido formalmente convidada para acompanhar as eleições legislativas na Rússia em dezembro. As declarações de Putin foram feitas após ele ter sido designado oficialmente candidato à presidência nas eleições de março de 2012, designação aceita por ele neste domingo diante de 11 mil delegados de seu partido, Rússia Unida.

"Sou grato ao (presidente) Dimitri Anatolevich Medvedev, ao congresso da Rússia Unida, por ter me nomeado e pedido que fosse candidato ao posto de presidente da Rússia. E é claro, aceito esta proposta com gratidão. Obrigado", declarou Putin sob aplausos da multidão que gritava "Rússia! Rússia!" e "Putin! Putin!".

O Congresso da Rússia Unida ainda deve ser votado oficialmente para confirmar Putin, de 59 anos, como candidato às presidenciais, como se anunciou no final de setembro. Medvedev discursou pouco antes de Putin e aproveitou para pedir o voto para o dirigente "mais experiente e mais popular" do país. "Nosso país confia e deposita sua esperança no futuro em (Putin)", disse Medvedev.

Antes, partidários do primeiro-ministro se revezaram na tribuna para falar dos feitos de Putin desde sua chegada ao poder em 2000, enaltecendo principalmente a "estabilidade" estabelecida por ele após o caos gerado nos anos 1990 como consequência do desmembramento da União Soviética em 1991.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade