0

Gérard Depardieu elogia Putin e o compara ao papa João Paulo II

18 mai 2013
09h34
atualizado às 10h06
  • separator
  • 0
  • comentários

O ator francês Gérard Depardieu, que acaba de obter a nacionalidade russa, comparou neste sábado o presidente russo Vladimir Putin ao falecido papa João Paulo II e disse que está muito feliz no país. Depardieu está filmando um novo longa-metragem entre Moscou e Grozni, a capital chechena, ao mesmo tempo que atua como embaixador da cultura russa.

<p>O ator franc&ecirc;s G&eacute;rard Depardieu foi &agrave; R&uacute;ssia e fez elogios ao presidente, Vladimir Putin</p>
O ator francês Gérard Depardieu foi à Rússia e fez elogios ao presidente, Vladimir Putin
Foto: Getty Images

O ator recebeu o novo passaporte durante um jantar com Putin - ironizado pela oposição - em janeiro, depois de uma briga com as autoridades francesas que pretendiam elevar os impostos dos ricos, que chegariam a 75% de parte da renda. Em uma entrevista ao jornal Komsomolskaya Pravda, Depardieu afirma que está orgulhoso do que foi feito por Putin, ex-agente da KGB, em 13 anos de poder.

"Tenho muitos amigos russos, Putin, por exemplo", disse o ator, conhecido pelo papel de "Cyrano de Bergerac" e vencedor de prêmios importantes da indústria do cinema. "Vou dizer o que penso de Putin: a nação russa precisa de uma pessoa como ele, com um temperamento russo. Putin está tentando devolver um pouco de dignidade ao povo."

"Para mim, ele é como (o falecido ex-presidente francês) François Mitterrand ou o papa João Paulo II. Nunca havia falado antes a um jornalista, mas é o que penso", afirmou. João Paulo II foi férreo anticomunista que ajudou a consolidar o sindicato Solidariedade na Polônia em 1980.

Putin já afirmou que o colapso da União Soviética foi uma das grandes tragédias do século XX e foi acusado pela oposição de não expor nem condenar as atrocidades cometidas pelo ditador Joseph Stalin.

Depardieu negou que aceitou a nacionalidade russa e a função de relações públicas para reviver a carreira. "É ridículo. Tenho mais de de 200 filmes. Quem precisa de relações públicas depois disso?", afirmou.

O ator disse que deixou a França porque não suporta a política do presidente François Hollande. Na eleição passada, ele apoiou Nicolas Sarkozy. "Gostava de Sarkozy porque todo mundo estava contra", disse Depardieu.

Veja também:

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade