PUBLICIDADE

EUA e aliados acusam China de campanha global de ciberespionagem

19 jul 2021 18h35
ver comentários
Publicidade

Os Estados Unidos e aliados acusaram a China, nesta segunda-feira, de ser responsável por uma campanha global de ciberespionagem, reunindo uma ampla coalizão de países para criticar Pequim por ataques hackers.

Bandeira chinesa e códigos de computação, em imagem ilustrativa
12/07/2017
REUTERS/Thomas White
Bandeira chinesa e códigos de computação, em imagem ilustrativa 12/07/2017 REUTERS/Thomas White
Foto: Reuters

Os Estados Unidos foram acompanhados por Otan, União Europeia, Reino Unido, Austrália, Japão, Nova Zelândia e Canadá na condenação da espionagem, que o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse ser "uma grande ameaça à nossa segurança nacional e econômica".

Simultaneamente, o Departamento de Justiça dos EUA acusou formalmente quatro cidadãos chineses --três autoridades de segurança e um hacker contratado-- de atacar dezenas de empresas, universidades e agências governamentais nos Estados Unidos e no exterior.

A embaixada chinesa em Washington não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Autoridades chinesas disseram anteriormente que a China também é vítima de hackers e se opõe a todas as formas de ataques cibernéticos.

Em um evento sobre o plano de infraestrutura do governo, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse a repórteres: "Meu entendimento é que o governo chinês, não diferente do governo russo, não está fazendo isso sozinho, mas está protegendo aqueles que estão fazendo. E talvez até mesmo os acomodando para que sejam capazes de fazer isso".

A porta-voz da Casa Branca Jen Psaki foi posteriormente questionada em seu briefing diário por que Biden não culpou diretamente o governo chinês em sua resposta à pergunta de um repórter.

"Essa não era a intenção que ele estava buscando. Ele leva as atividades cibernéticas maliciosas muito a sério", declarou Psaki.

Psaki também disse que a Casa Branca não faz distinção entre a Rússia e a China quando se trata de ataques cibernéticos.

Embora uma série de declarações de potências ocidentais represente uma ampla aliança, especialistas cibernéticos disseram que a falta de consequências para a China além do indiciamento dos EUA é notável. Há apenas um mês, declarações da cúpula do G7 e da Otan fizeram um alerta à China, dizendo que ela representa uma ameaça à ordem internacional.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade