PUBLICIDADE

EUA declaram varíola dos macacos como emergência de saúde

País contabiliza cerca de 6,6 mil casos da doença

4 ago 2022 - 18h33
(atualizado às 18h57)
Ver comentários

O Departamento de Saúde dos Estados Unidos declarou nesta quinta-feira (4) a varíola dos macacos como emergência sanitária nacional.

Fila para vacinação contra varíola dos macacos em Los Angeles
Fila para vacinação contra varíola dos macacos em Los Angeles
Foto: EPA / Ansa - Brasil

A doença já infectou cerca de 6,6 mil pessoas no país, sendo um quarto desse número apenas no estado de Nova York.

"Estamos prontos para levar nossa resposta para o próximo nível e pedimos a cada americano que leve a varíola dos macacos a sério", afirmou o secretário de Saúde dos EUA, Xavier Becerra.

A declaração de emergência tem validade inicial de 90 dias, mas pode ser prorrogada se o cenário não for revertido. O governo já distribuiu cerca de 600 mil doses da vacina Jynneos, desenvolvida inicialmente para a varíola original, e pretende aumentar esse número nos próximos dias.

A doença pode ser transmitida por gotas de saliva e por contato com fluidos corporais e lesões cutâneas, inclusive durante relações sexuais. Já os sintomas são semelhantes aos da varíola humana - que está erradicada no mundo desde 1980 -, como febre, dores musculares e o surgimento de bolhas na pele, embora de forma mais leve.

O nome "varíola dos macacos" se deve ao fato de o vírus ter sido descoberto em colônias de símios, em 1958. Atualmente, acredita-se que os roedores sejam os principais hospedeiros do patógeno.

No último dia 23 de julho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a doença como "emergência de interesse internacional", seu mais alto nível de alerta.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade