0

EUA confirmam 1º caso de coronavírus em San Diego

Paciente que não teve identidade revelada foi diagnosticado em San Diego, na Califórnia

11 fev 2020
03h29
atualizado às 08h56
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Autoridades americanas confirmaram o primeiro caso de coronavírus em San Diego, Califórnia, o que a torna a primeira cidade na fronteira do México com os Estados Unidos a ter o vírus. Um porta-voz do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) confirmou à EFE que um paciente, cujos detalhes de identidade não foram informados, era positivo quanto à presença do vírus.

07/02/2020
REUTERS/Jonathan Ernst
07/02/2020 REUTERS/Jonathan Ernst
Foto: Reuters

Por outro lado, a Universidade da Califórnia em San Diego emitiu uma declaração para esclarecer que no domingo, 9 de fevereiro, as autoridades do CDC informaram o Departamento de Saúde Pública do Condado de San Diego que quatro pacientes estavam sob monitoramento para possíveis a presença do vírus foi negativa.

São quatro pacientes que ficaram em quarentena depois de chegar à cidade em um avião da China para a base aérea de Miramar em 5 de fevereiro. Todos, incluindo um menor de idade, foram hospitalizadas após apresentarem sintomas relacionados ao coronavírus, como febre e tosse.

Como os resultados de domingo foram negativos, os quatro pacientes receberam alta do hospital da Universidade da Califórnia em San Diego e retornaram à quarentena em instalações militares.

No entanto, "nesta manhã, a equipe do CDC informou ao Departamento de Saúde Pública de San Diego que testes adicionais revelaram que um dos quatro pacientes apresentou resultado positivo para a presença do vírus", disse a universidade em seu comunicado à imprensa. Ele foi internado novamente no hospital da Universidade, onde está sob observação e isolamento.

Na Ásia, a Tailândia registrou um novo caso de coronavírus, elevando o total no país para 33, disse uma autoridade do Ministério da Saúde nesta terça-feira, 11.

O novo caso é uma mulher chinesa de 54 anos, de Wuhan, que foi colocada em quarentena depois de entrar em contato com outro paciente do vírus na Tailândia, disse Suwanchai Wattanayingcharoenchia, diretora geral do Departamento de Controle de Doenças.

"A 33ª paciente ficou doente por contato e sua condição não é grave", disse Suwanchai. Dez das pessoas infectadas se recuperaram e voltaram para casa, enquanto 23 ainda estão sendo tratadas no hospital. Mais de 1.000 pessoas na China morreram com o vírus, mas a Tailândia ainda não registrou fatalidade. /EFE e Reuters

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade