1 evento ao vivo

EUA se preocupam com nova geração de explosivos líquidos da Al-Qaeda

7 ago 2013
00h40
atualizado às 00h53
  • separator
  • 0
  • comentários

As autoridades americanas estão preocupadas com uma nova geração de explosivos líquidos que a Al-Qaeda poderia usar em possíveis novos ataques, informou a emissora ABC nesta terça-feira.

De acordo com duas autoridades em alerta terrorista, essa nova ameaça é muito dificil de ser detectada, já que a tática da nova geração de consiste em molhar uma peça de tecido em um líquido que, depois de seco, se transforma em explosivo.

"É muito engenhoso", afirmou um dos funcionários, enquanto o outro alegou que essa nova geração de explosivos não seria detectada pelas atuais medidas de segurança.

As autoridades acham que esta nova técnica foi desenvolvida pela Al-Qaeda na Península Arábica (AQPA), com sede no Iêmen, e supostamente está ligada ao cidadão saudita Ibrahim al Asiri, um especialista em explosivos.

Segundo as autoridades americanas, o sujeito em questão é responsável pela criação de bombas presas às roupas interiores e, inclusive, implantadas cirurgicamente ao corpo. Além dos explosivos líquidos, as autoridades também estão preocupadas com uma possível ação de suicidas com bombas internas.

Os EUA apontaram hoje o Iêmen como provável foco do alerta terrorista que causou o fechamento de uma série de embaixadas e consulados, a ordem de saída "imediata" de seus cidadãos e a retirada do pessoal não essencial de sua embaixada em Sana, um passo que também foi seguido pelo Reino Unido.

A Casa Branca já tinha admitido que a ameaça "emana ou se dirige à Península Arábica", e o Departamento de Estado ressaltou hoje sua inquietação pelo envolvimento da AQPA.

Fontes oficiais americanas disseram na última segunda-feira ao The New York Times que o alerta foi instaurado após várias mensagens entre o líder da Al Qaeda, Ayman al Zawahiri, e o chefe da AQPA, Nasser Al Wuhayshi, que falavam sobre um ataque no último domingo, um extremo que não foi confirmado e nem desmentido pelo Departamento de Estado.

Os Estados Unidos mantêm fechadas 19 sedes diplomáticas, incluindo a da Jordânia, Iêmen e Egito, que, por precaução, não serão abertas até o próximo sábado.

Além disso, nos últimos dez dias, o governo autorizou uma série de ataques com aviões não-tripulados (drones) no Iêmen para tentar interromper qualquer complô terrorista, de acordo com fontes oficiais citadas pelo The Washington Post.

Durante uma entrevista ao programa The Tonight Show, do popular apresentador Jay Leno, a qual será transmitida nesta noite, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou que seu governo tomou "todas as precauções" em torno da ameaça de um possível ataque terrorista da Al-Qaeda.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade