0

Em artigo, senador McCain acusa Putin de corrupção e repressão

19 set 2013
03h52
atualizado às 06h44
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Senador John McCain usou um jornal russo para responder ao presidente Putin</p>
Senador John McCain usou um jornal russo para responder ao presidente Putin
Foto: AP

O senador republicano John McCain, dos Estados Unidos, acusou o presidente da Rússia, Vladimir Putin de corrupção, repressão e de usar o cargo em benefício próprio em um artigo publicado no jornal russo Pravda, ex-publicação oficial do governo soviético, em resposta ao artigo publicado pelo próprio Putin no The New York Times na semana passada.

Senador pelo Estado de Arizona desde 1987, John McCain, 77 anos, concorreu à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano em 2008, sendo superado pelo democrata Barack Obama. Em 2000, ele foi candidato à campanha presidencial em seu partido, mas foi preterido por George W. Bush, que seria eleito presidente americano pelos oito anos seguintes.

No artigo, cuja manchete é "Russians Deserve Better That Putin" (Russos merecem algo melhor que Putin, em tradução livre), McCain acusa Putin e seus aliados de punir dissidentes, especialmente pela morte na prisão do advogado e crítico feroz do governo Sergei Magnitsky – um conselho de diretos humanos da presidência considerou que Magnitsky fora agredido e teve tratamento negado enquanto preso.

O senador americano também criticou Putin por ficar do lado do presidente sírio Bashar al-Assad durante os mais de dois anos de guerra civil no país árabe. McCain insistiu que não é “anti-Rússia”, mas pelo contrário, “mais pró-Rússia do que o regime que administra mal vocês”, declarou, se referindo ao povo russo.

“O presidente Putin não acredita em você. Ele não acredita que a natureza humana em liberdade pode superar suas fraquezas e construir sociedades pacíficas e prósperas. Ou, pelo menos, ele não acredita que os russos possam. Então ele governa usando essas fraquezas, com corrupção, repressão e violência. Ele governa para si mesmo, não para você”, disparou o americano.

McCain criticou Putin por escrever leis intolerantes, citando especificamente a polêmica sobre orientação sexual que dominou na Rússia nos últimos meses – uma lei impõe de multa a até 15 dias de prisão para pessoas acusadas de espalhar “propaganda de relações sexuais não tradicionais” para crianças e adolescentes.

O senador americano também criticou Putin por ficar do lado do presidente sírio Bashar al-Assad durante os mais de dois anos de guerra civil no país árabe, e se aliar a um tirano. “Ele não está engrandecendo a reputação global da Rússia. Ele está destruindo. Ele fez da Rússia uma amiga de tiranos e inimiga dos oprimidos, e não confiável para países que buscam construir um mundo mais seguro, pacífico e próspero”, disse o representante do Arizona no Senado.

O porta-voz de Vladimir Putin, Dmitri Peskov, disse que o presidente russo pretende ler o texto, mas é pouco provável que responda. "McCain não é conhecido por ser um fã de Putin. Há poucas possibilidades de que iniciemos uma polêmica. É o ponto de vista de alguém que vive do outro lado do oceano", disse o porta-voz.

O Pravda.ru, que diz apoiar a política de Putin, não tem nenhuma relação com antigo jornal do Partido Comunista soviético e posteriormente russo, Pravda, que não é mais publicado em papel e é distribuído apenas de maneira esporádica nas manifestações.

Com informações das agências AP e AFP

Veja também:

Casa de 139 anos é transportada inteira para outro endereço em San Francisco
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade