0

Assange apela em 2ª instância contra ordem de prisão na Suécia

30 nov 2010
16h07
atualizado às 16h44

A defesa de Julian Assange, o fundador do site Wikileaks, apelou nesta terça-feira em segunda instância perante a Corte Suprema sueca contra uma ordem de prisão por supostos crimes sexuais, informou a imprensa sueca.

O australiano Julian Assange é o fundador do site Wikileaks
O australiano Julian Assange é o fundador do site Wikileaks
Foto: EFE

Trata-se do último recurso legal possível dos advogados de Assange, de 39 anos, que anunciaram na semana passada que recorreriam da decisão na Corte Suprema. Na última quarta-feira, a Corte de Apelação de Svea, em Estocolmo, rejeitou a primeira apelação contra a ordem de prisão, mas diminuiu a sentença dada pelo tribunal sueco de primeira instância.

Assim, manteve a suspeita por crime de estupro, mas a rebaixou a uma categoria menor, enquanto em uma das três denúncias por assédio sexual considerou que o grau de suspeita não era "suficientemente forte". Além disso, Assange, responsável pelo site que divulgou os documentos confidenciais das embaixadas americanas no mundo todo e das guerras do Iraque e do Afeganistão, seguirá sendo suspeito de um suposto delito de coerção ilegal.

Todos os casos pelos quais está sendo processando estão relacionados com sua breve estadia na Suécia no mês de agosto para fazer conferências sobre sua atividade à frente do Wikileaks. Os problemas de Assange com a justiça sueca começaram no dia 20 de agosto, quando um fiscal de guarda emitiu a primeira ordem de prisão por um crime delito de estupro, uma decisão revogada 24 horas depois pela promotora-chefe, que reduziu o caso a um delito menor de assédio.

No entanto, quando a diretora da promotoria pública sueca, Marianne Ny, assumiu a direção, decidiu reabrir a investigação por estupro, que culminou na semana passada com uma nova ordem de prisão contra Assange.

EFE   
publicidade