0

Espanha realiza homenagem solene às vítimas do coronavírus

País foi um dos mais afetados e registra mais de 28 mil mortos

16 jul 2020
08h26
atualizado às 08h29
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Espanha realizou nesta quinta-feira (16) uma cerimônia solene pelas vítimas do novo coronavírus (Sars-CoV-2) no país, em um ato que reuniu a família real, membros do governo, da União Europeia e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

"Foi muito difícil, muito difícil e, sem embargo, nossa sociedade deu nesses meses uma lição de imenso valor. A Espanha mostrou seu melhor espírito e, com o passar dos anos, lembraremos que demos um exemplo de civismo, de maturidade, de resistência e de compromisso com os outros", disse o rei Felipe VI, que participou da cerimônia ao lado da rainha Letizia e das duas filhas, Leonor e Sofia.

Além da família real, estiverem presentes o premier Pedro Sánchez, todos os ministros do governo espanhol bem como todos os governadores do país. Também participaram a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, e o secretário-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

O evento contou com cerca de 400 pessoas no Palácio Real, incluindo parentes de vítimas da Covid-19, e foi realizado obedecendo rigorosamente as regras de distanciamento social e a obrigatoriedade do uso de máscaras.

Durante a cerimônia, que foi a primeira do tipo no país, o irmão de uma dessas vítimas, Hernando Calleja, fez um discurso representando as famílias.

"Hoje, simbolicamente, estamos dando adeus às nossas mães, pais, filhos, irmãos e amigos. Pegamos suas mãos, acariciamos seus rostos, beijamos suas testas e registramos seus rostos em nossos corações", disse Calleja em um discurso emocionado, que lembrou que as famílias não puderam se despedir em funerais tradicionais de seus entes queridos.

A Espanha foi um dos países mais afetados pela pandemia do novo coronavírus no mundo, chegando a ficar entre os três que mais registraram mortos e contaminações. No entanto, após um longo e rigoroso lockdown, a nação conseguiu controlar a Covid-19.

Conforme dados da Universidade Johns Hopkins, são 257.494 casos confirmados da doença desde fevereiro e 28.413 óbitos.

Veja também:

Explosão no Líbano: BBC visita epicentro do desastre no porto de Beirute
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade