0

Conflito sírio já tem 3 mil jihadistas europeus, diz UE

Estimativa era de 500 cidadãos do continente há um ano; CIA fala em 31 mil estrangeiros integrando grupo 'Estado Islâmico'

26 set 2014
11h40
  • separator
  • comentários

O número de europeus que integram as forças islamistas no conflito na Síria e no Iraque subiu para mais de 3 mil, disse à BBC o coordenador de políticas antiterrorismo da União Europeia, Gilles de Kerchove.

Grupo autodenominado 'Estado Islâmico' tem atraído extremistas estrangeiros
Grupo autodenominado 'Estado Islâmico' tem atraído extremistas estrangeiros
Foto: AFP / BBCBrasil.com

Segundo ele, o número inclui os cidadãos que estiveram na região e retornaram à Europa, os que ainda estão lá e os que morreram em combate.

O comentário de De Kerchove vem horas depois da revelação de que um jihadista britânico foi morto nos ataques aéreos contra alvos extremistas realizados pelos Estados Unidos e seus aliados na região.

De acordo com o Observatório de Direitos Humanos, um grupo de monitoramento sírio baseado em Londres, o mais recente ataque americano ao Estado Islâmico na Síria - que matou 140 pessoas, entre elas 13 civis - tirou mais vidas de estrangeiros do que de sírios.

A adesão internacional ao Estado Islâmico preocupa autoridades europeias e americanas, pelo temor de que jihadistas europeus facilitem ataques terroristas na Europa e nos Estados Unidos.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas adotou resolução vinculante que obriga seus estados membros a adotar medidas preventivas contra a adesão de seus cidadãos às forças extremistas.

Gilles de Kerchove alertou que a ação de forças ocidentais aumentou o risco de resposta violenta de militantes islamistas a alvos europeus.

"Temos que reconhecer que isso vai acontecer. Isso ficou claro com o caso da França", disse.

"Dias atrás (o Estado Islâmico) fez um comunicado de que irira retaliar a coalizão. Um homem francês foi sequestrado na Argelia e decapitado. Eles fizeram o que prometeram."

Na quarta-feira, o FBI (a polícia federal americana) afirmou ter descoberto a identidade do homem mascarado que aparece nos vídeos de decapitação de dois jornalistas americanos e de um agente humanitário britânico divulgados pelo grupo.

O sotaque britânico do homem chamou a atenção da mídia europeia.

Adesão crescente?
A agência de inteligência norteamericana, a CIA, estima que 31 mil estrangeiros integrem o Estado Islâmico.

Gilles de Kerchove diz que Califado estimulou adesão de europeus a força Jihadista
Gilles de Kerchove diz que Califado estimulou adesão de europeus a força Jihadista
Foto: AFP / BBCBrasil.com

Esta seria a maior adesão de estrangeiros a uma força militar de um conflito nacional desde a Guerra Civil espanhola, quando entre 30 mil e 35 mil estrangeiros lutaram pelas forças republicanas, em oposição ao general Franco, apoiado pela Alemanha nazista e pela Itália fascista.

As estimativas quanto à participação estrangeira vêm aumentando. Um estudo de junho do centro de estudos de inteligência Soufran Group afirma que, nos três primeiros anos da guerra na Síria, 12 mil estrangeiros tiveram participação em forças jihadistas.

Somente europeus, havia 2 mil em abril, segundo as estimativas de De Kerchove, contra cerca de 500 um ano antes.

O professor Peter Neumann, do King’s College de Londres, estima que cerca de 80% dos voluntários ocidentais tenham aderido ao Estado Islâmico no último ano. De acordo com estudo do Soufran Group, os voluntários têm entre 19 e 29 anos na maioria.

De Kerchove afirmou que o fato de o Estado Islâmico ter declarado um califado em junho pode ser uma das razões por trás da atração de mais estrangeiros para a luta extremista.

"Se você acredita no califado, provavelmente vai querer fazer parte dele o mais rápido possível", disse.

Desvendando o Estado Islâmico Desvendando o Estado Islâmico

BBCBrasil.com BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade