0

Bombardeios do regime sírio causam 182 mortes em uma semana

Entre as vítimas, há 60 crianças e jovens e 38 mulheres

27 out 2014
10h24
  • separator
  • comentários

O regime de Bashar al Assad intensificou os ataques aéreos na Síria, onde pelo menos 182 pessoas morreram em uma semana, entre elas 60 menores, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos nesta segunda-feira.

<p>Um homem &eacute; socorrido ap&oacute;s um ataque a&eacute;reo realizado&nbsp;por for&ccedil;as do regime s&iacute;rio na cidade de Douma, a nordeste da capital Damasco, um reduto da oposi&ccedil;&atilde;o desde o in&iacute;cio da revolta contra o presidente Bashar al-Assad, em 13 de abril de 2014</p>
Um homem é socorrido após um ataque aéreo realizado por forças do regime sírio na cidade de Douma, a nordeste da capital Damasco, um reduto da oposição desde o início da revolta contra o presidente Bashar al-Assad, em 13 de abril de 2014
Foto: ABD DOUMANY / AFP

O Exército realizou um total de 602 bombardeios - 326 com aviões e 276 com helicópteros que lançaram barris de explosivos- entre a meia-noite do dia 19 até domingo.

Os bombardeios foram registrados nas províncias de Latakia, no oeste; Hama e Homs, no centro; Idlib e Aleppo, no norte; Deir ez Zor, no nordeste; Quneitra e Deraa, no sul; e em Damasco e sua periferia.

Dos 182 mortos, 60 eram menores de idade, 38 mulheres e 84 homens. Foram registrados pelo menos 300 feridos.

Em fevereiro, o Conselho de Segurança da ONU adotou uma resolução que pedia a todas as partes "cessar imediatamente os ataques contra civis", os bombardeios indiscriminados de áreas povoadas e "o uso de barris de explosivos" na Síria.

Segundo a ONU, o número de mortos no território sírio desde o início do conflito, em março de 2011, já passa de 200 mil.

Entenda os conflitos na Síria Entenda os conflitos na Síria : Confrontos começaram em março de 2011, se transformaram em guerra civil e já fizeram milhares de mortos e outros milhões de refugiados

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade