PUBLICIDADE

Dados mostram que remédio anticovid funciona contra Ômicron

Tratamento batizado de sotrovimab se mostrou efetivo contra todas as 37 mutações identificadas a partir da nova cepa

7 dez 2021 09h06
| atualizado às 09h35
ver comentários
Publicidade
Foto de ilustração do coronavírus
29/01/2020 Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Divulgação via REUTERS
Foto de ilustração do coronavírus 29/01/2020 Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Divulgação via REUTERS
Foto: Reuters

A farmacêutica britânica GSK disse nesta terça-feira, 7, que sua terapia contra covid-19 baseada em anticorpos desenvolvida com a parceira norte-americana Vir Biotechnology é eficaz contra todas as mutações da nova variante Ômicron do coronavírus, citando dados novos de estudos de estágio inicial.

Os dados, que ainda serão publicados em um periódico médico sujeito ao crivo da comunidade científica, mostram que o tratamento da empresa, batizado de sotrovimab, funciona contra todas as 37 mutações identificadas até o momento na proteína spike da variante Ômicron, disse a GSK em um comunicado.

Na semana passada, outros dados pré-clínicos mostraram que o remédio funcionou contra mutações cruciais da Ômicron. O sotrovimab foi concebido para se ater à proteína spike na superfície do coronavírus, mas se descobriu que a Ômicron tem um número anormalmente alto de mutações nesta proteína.

"Estes dados pré-clínicos demonstram o potencial de nossos anticorpos monoclonais serem eficazes contra a variante mais recente, Ômicron, além de todas as outras variantes preocupantes definidas até o momento pela OMS (Organização Mundial da Saúde)", disse o chefe científico da GSK, Hal Barron.

A GSK e a Vir estão criando em laboratório os chamamos pseudovírus, que contêm importantes mutações do coronavírus de todas as possíveis variantes que já surgiram, e então realizam testes sobre sua vulnerabilidade ao tratamento sotrovimab.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade