PUBLICIDADE

Congresso peruano rejeita abrir impeachment contra Castillo

Oposição queria destituir presidente por 'incapacidade moral'

8 dez 2021 09h51
| atualizado às 10h00
ver comentários
Publicidade

O Congresso do Peru rejeitou na noite desta terça-feira (7) uma moção que pedia a abertura do processo de impeachment do presidente do país, Pedro Castillo, por 76 votos contra, 46 a favor e quatro abstenções.

Castillo assumiu o cargo no fim de julho, mas mesmo assim já foi alvo de pedido de impeachment
Castillo assumiu o cargo no fim de julho, mas mesmo assim já foi alvo de pedido de impeachment
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O pedido foi apresentado por três partidos de oposição, incluindo os aliados de Keiko Fujimori, e acusava o mandatário, que está no poder desde o fim de julho, de "permanente incapacidade moral".

Entre as acusações, os opositores afirmaram que ele nomeou ministros "ligados" ao terrorismo, de ter pressionado por promoções de oficiais das Forças Armadas, de ter retomado relações com a Venezuela e de suposta corrupção.

Porém, para ser aprovada a moção precisava de 52 votos favoráveis.

A rejeição também se deveu ao trabalho do próprio presidente que, nos últimos dias, se reuniu com líderes de sete partidos peruanos para tentar reverter a situação e pedir que o Congresso focasse os esforços nas questões sanitárias e econômicas ligadas à pandemia de Covid-19.

Apesar da política do país viver caótica há décadas, a situação foi ficando mais grave desde o fim de 2018 quando dois presidentes do país - Pedro Pablo Kuczynski e Martín Vizcarra - renunciaram após serem abertos processos de impeachment. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade