PUBLICIDADE

China promete incluir biodiversidade em planos econômicos em início de conversas da ONU

11 out 2021 15h08
ver comentários
Publicidade

A China incorporará a proteção da biodiversidade em planos de desenvolvimento em todas as regiões e setores, disse o vice-primeiro-ministro Han Zheng nesta segunda-feira na abertura das conversas da Organização das Nações Unidas (ONU) que visam obter avanços em um acordo global para deter a extinção em massa.

Pedestres seguram guarda-chuvas em Xangai em meio a aproximação do tufão Chanthu
13/09/2021
REUTERS/Aly Song
Pedestres seguram guarda-chuvas em Xangai em meio a aproximação do tufão Chanthu 13/09/2021 REUTERS/Aly Song
Foto: Reuters

Elizabeth Maruma Mrema, secretária-executiva da Convenção das Nações Unidas para a Proteção Biológica, disse na abertura da reunião na cidade de Kunming que o mundo chegou a um "momento da verdade" quando se trata de proteger seus ecossistemas.

A China promete fazer da proteção da natureza uma prioridade depois que décadas de desenvolvimento e urbanização rápidos devastaram ecossistemas, colocaram dezenas de espécies à beira da extinção e elevaram o risco de doenças zoonóticas letais, como a Covid-19.

Após uma cerimônia de abertura que contou com uma apresentação musical de uma minoria étnica e um filme louvando a migração segura de 15 elefantes asiáticos através do sudoeste chinês neste ano, Han disse que a China "fará com que suas espécies e recursos ecológicos importantes sejam totalmente protegidos".

"Formularemos uma estratégia nacional de proteção da biodiversidade e um plano de ação para a nova era, incorporaremos a proteção da biodiversidade em planos de desenvolvimento de médio e longo prazo para todas as regiões e setores como uma tarefa importante", disse ele.

Especialistas temem o impacto ambiental das ambições econômicas da China em todo o mundo.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade