PUBLICIDADE

Mundo

Chefe do Hezbollah ameaça Israel e Chipre em discurso pela televisão

19 jun 2024 - 17h00
Compartilhar
Exibir comentários

O chefe do Hezbollah, do Líbano, disse nesta quarta-feira que nenhum lugar de Israel estará seguro se houver uma guerra total entre os dois inimigos, ameaçando também ameaçou o Chipre e outras regiões do Mediterrâneo. 

O Hezbollah tem trocado ataques com Israel há mais de oito meses, em paralelo à guerra em Gaza. Na terça-feira, o grupo apoiado pelo Irã publicou o que afirmou serem imagens de drones de locais militares sensíveis, no interior do território israelense. 

Em um discurso pela televisão nesta quarta-feira, o chefe do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, disse que "não haverá lugar seguro para nossos mísseis e nossos drones" em Israel, se houver uma guerra mais ampla. 

O grupo também tem um "banco de alvos" que pode atingir com ataques precisos, disse. 

Israel "sabe que o que também o aguarda no Mediterrâneo é muito grande… Se houver uma batalha dessa magnitude, sabe que precisa nos aguardar por terra, ar e mar", acrescentou Nasrallah. 

O grupo mostrou pela primeira vez seu poder de fogo no mar ao acertar um navio de guerra israelense no Mediterrâneo durante a guerra de 2006.

Analistas e imprensa há anos indicam que o Hezbollah adquiriu mísseis anti-navios fabricados pela Rússia chamados Yakhont, na Síria, após suas forças se mobilizarem há mais de uma década para ajudar o presidente Bashar al-Assad a enfrentar a guerra civil. 

Nasrallah também ameaçou o Chipre pela primeira vez, acusando-o de permitir que Israel utilize seus aeroportos e bases para exercícios militares. 

"O governo cipriota precisa estar ciente que abrir aeroportos e bases cipriotas para o inimigo israelense atingir o Líbano significa que o governo cipriota se tornou parte da guerra e a resistência (o Hezbollah) lidará com o país como parte da guerra", disse Nasrallah. 

Não houve comentários de autoridades do Chipre em um primeiro momento. 

Não é sabido se o Chipre oferece qualquer base ou instalação terrestre para o Exército israelense, mas, no passado, permitiu que Israel usasse seu vasto espaço aéreo -- sua região de informação de voo (FIR) -- para ocasionalmente conduzir exercícios aéreos, mas nunca durante conflitos. 

Bases militares soberanas britânicas foram usadas pelo Reino Unido para operações na Síria e mais recentemente no Iêmen. O governo do Chipre não tem voz na questão. Há duas bases britânicas no Chipre, que foi colônia até 1960. 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade