0

Câmara dos EUA vota envio do impeachment de Trump ao Senado

Democratas também vão decidir sua equipe para o julgamento

15 jan 2020
10h23
atualizado às 11h43
  • separator
  • 0
  • comentários

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, que é controlada pelos democratas, irá votar nesta quarta-feira (15) o envio dos artigos de impeachment do presidente do país, Donald Trump, ao Senado.

Câmara dos EUA votará envio do impeachment de Trump ao Senado
Câmara dos EUA votará envio do impeachment de Trump ao Senado
Foto: EPA / Ansa

De acordo com a imprensa norte-americana, a presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, afirmou em uma reunião da legenda que também vai nomear os responsáveis da Casa que vão liderar a acusação contra o magnata republicano no julgamento.

O jornal "The New York Times" revelou que até o fim desta quarta-feira (15), os representantes da Câmara vão levar os artigos ao Senado, iniciando o processo de julgamento.

O atual presidente dos Estados Unidos sofreu impeachment na Câmara no dia 18 de dezembro, mas, de acordo com as regras do país, Trump só poderá ser afastado do cargo caso o Senado o considerar culpado.

Entretanto, no cenário atual, é improvável que o magnata sofra o impeachment, já que o Senado é dominado pelo Partido Republicano e onde a condenação dependerá do aval de maioria qualificada de dois terços. Por lá, a legenda conta com 53 senadores, número mais do que suficiente para evitar a deposição do presidente.

Até hoje, apenas dois chefes de Estado do país foram submetidos a processos de impeachment: Andrew Johnson (1868) e Bill Clinton (1998), ambos absolvidos - Richard Nixon renunciou em 1974, evitando um afastamento iminente por causa do escândalo "Watergate".

Trump é acusado de ter pressionado o presidente da Ucrânia, Volodymyer Zelensky, a anunciar uma investigação contra Joe Biden, pré-candidato à Casa Branca e cujo filho, Hunter, foi conselheiro de uma empresa ucraniana de gás, a Burisma. Para alcançar seu objetivo, o magnata seria congelado uma ajuda militar de quase US$ 400 milhões a Kiev.

Veja também:

 

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade