0

'Caixa eletrônico' de Prosecco irrita produtores italianos

Máquina havia sido instalada por um bar em Londres, Reino Unido

13 fev 2020
13h41
atualizado às 13h59
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma espécie de "caixa eletrônico" de Prosecco instalado em Londres, capital do Reino Unido, provocou protestos dos produtores do mais festejado espumante italiano no mercado internacional.

'Caixa eletrônico' de Prosecco em Londres
'Caixa eletrônico' de Prosecco em Londres
Foto: Reprodução / Ansa - Brasil

A máquina havia sido colocada no lugar de um antigo caixa eletrônico, como forma de promover a abertura de uma nova unidade do bar de vinhos Vagabond, que fica em uma ex-agência do banco Santander.

O aparelho, cuja aparência remete aos caixas eletrônicos tradicionais, foi batizado como "Banco de Bolhas" e oferecia um suposto Prosecco para o público, com o limite de uma taça por pessoa.

A novidade, no entanto, irritou os produtores italianos, que não distribuem a bebida por outros meios que não sejam garrafas de vidro. Segundo eles, o espumante oferecido pela máquina não era Prosecco.

Por conta da polêmica, os donos do Vagabond decidiram retirar o "caixa eletrônico". "Essa decisão restabelece uma correta informação para o consumidor", disse o presidente do Consórcio de Tutela do Prosecco DOC (Denominação de Origem Controlada), Stefano Zanette.

"O desejo é de que esse episódio mostre como apenas o respeito às regras, tanto na Itália quanto no exterior, é a verdadeira garantia de qualidade do produto e, portanto, de uma relação leal com o consumidor", acrescentou.

A ministra das Políticas Agrícolas da Itália, Teresa Bellanova, chegou a definir a máquina como "fraude em prejuízo dos consumidores ingleses". "A luta contra a usurpação de denominações italianas protegidas está entre nossas prioridades", disse, por meio de uma nota.

O Prosecco é produzido sobretudo na região do Vêneto, norte da Itália, mas também em algumas províncias da vizinha Friuli Veneza Giulia. Em julho de 2019, a Unesco tombou parte dessa área como Patrimônio Mundial da Humanidade.

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade