0

Biden pede que norte-americanos fiquem seguros durante feriado e combatam a pandemia

25 nov 2020
19h19
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu nesta quarta-feira que os norte-americanos tomem medidas para permanecerem seguros, em meio ao aumento de casos de Covid-19 na véspera do feriado de Ação de Graças, e se comprometeu novamente a tornar o combate à pandemia uma prioridade máxima quando assumir o cargo em janeiro.

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden
25/11/2020
REUTERS/Joshua Roberts
Presidente eleito dos EUA, Joe Biden 25/11/2020 REUTERS/Joshua Roberts
Foto: Reuters

"Acredito que vocês sempre merecem ouvir a verdade de seu presidente. Temos que desacelerar o crescimento desse vírus. Devemos isso aos médicos, enfermeiros e funcionários da linha de frente... Devemos isso aos nossos concidadãos", disse Biden.

Ele fez um apelo para que as pessoas evitem grandes reuniões familiares, usem máscaras protetoras e mantenham o distanciamento social.

"Eu sei que podemos e vamos vencer este vírus", acrescentou Biden, reconhecendo que os norte-americanos estão sentindo o cansaço da pandemia. "A vida vai voltar ao normal. Eu prometo a vocês. Isso vai acontecer. Isso não vai durar para sempre."

O ex-vice-presidente democrata prometeu fazer do combate à Covid-19 uma prioridade ao assumir o cargo em 20 de janeiro, após acusar Trump durante a campanha de se render diante de uma crise de saúde pública.

"Olhando para trás em nossa história, vocês veem que foram nas circunstâncias mais difíceis que a alma de nossa nação foi forjada. E agora nos encontramos novamente enfrentando um longo e difícil inverno", afirmou Biden.

Desde que ganhou a eleição de 3 de novembro, Biden tem feito um discurso de reconciliação. Trump ainda tem se recusado a admitir a derrota e alega falsamente que a eleição foi roubada.

Veja também:

Quem é Jill Biden, a nova primeira-dama dos EUA?
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade