1 evento ao vivo

Biden culpa Trump por crise econômica com os dois candidatos em Minnesota

18 set 2020
20h56
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou a maneira como o presidente Donald Trump conduz a economia do país, nesta sexta-feira, quando os dois rivais se dirigiram ao Estado de Minnesota, um dos quatro onde a votação estava começando antecipadamente.

Candidato presidencial democrata, Joe Biden (de paletó azul), se reúne com eleitores em Duluth, Minnesota
18/09/2020
REUTERS/Jonathan Ernst
Candidato presidencial democrata, Joe Biden (de paletó azul), se reúne com eleitores em Duluth, Minnesota 18/09/2020 REUTERS/Jonathan Ernst
Foto: Reuters

Trump está atrás de Biden nas pesquisas nacionais para a eleição de 3 de novembro, mas busca se recuperar em Minnesota, um Estado onde perdeu por cerca de 1,5 ponto percentual para a democrata Hillary Clinton em 2016.

Biden visitou um centro de capacitação de um sindicato em Hermantown, um subúrbio da cidade portuária de Duluth, e pintou um quadro sombrio da situação econômica na região de mineração de Minnesota, dizendo que a pandemia de coronavírus aumentou o desemprego.

O ex-vice-presidente dos EUA culpou Trump pela retração econômica, afirmando que o presidente republicano pouco fez para conter a crise de saúde pública.

"Trump desistiu até de fingir que fazia seu trabalho", disse Biden.

O democrata repetiu a promessa de investir 2 trilhões de dólares em melhorias de infraestrutura nos EUA enquanto combate a mudança climática. Ele disse também que garantirá que todos os projetos federais usem materiais feitos nos Estados Unidos e mão de obra sindical.

Trump realizaria um comício de campanha em um aeroporto em Bemidji, Minnesota, na noite de sexta-feira.

Pesquisas de opinião recentes no Minnesota deram a Biden uma vantagem robusta. O site de compilação de sondagens RealClearPolitics mostrou o democrata na frente com uma média de 10,2 pontos até sexta-feira.

A dianteira de Biden sublinha até que ponto o mapa eleitoral atual favorece o ex-vice-presidente.

Ele lidera em todos os três Estados do "Cinturão da Ferrugem" que Trump tirou dos democratas a caminho da vitória quatro anos atrás: Michigan, Wisconsin e Pensilvânia.

Veja também:

Sob restrições sanitárias, chilenos votam em plebiscito
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade