9 eventos ao vivo

Áustria anuncia reabertura de fronteiras, mas não da Itália

Cidadãos de outros sete países não sofrerão mais controles

3 jun 2020
11h11
atualizado às 11h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governo da Áustria anunciou que removerá os bloqueios em suas fronteiras terrestres nesta quinta-feira (4), com exceção da Itália.

Controle na fronteira entre Áustria e Alemanha
Controle na fronteira entre Áustria e Alemanha
Foto: EPA / Ansa - Brasil

As fronteiras estão bloqueadas desde março por causa da pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, mas serão reabertas devido à melhora da situação sanitária na Europa.

A Áustria faz divisa com oito países: Alemanha, Eslováquia, Eslovênia, Hungria, Liechtenstein, República Tcheca e Suíça, além da Itália.

"A partir de amanhã, não haverá mais controles para entrar na Áustria [pelas fronteiras terrestres]", disse o ministro das Relações Exteriores, Alexander Schallenberg, acrescentando que deseja reabrir a fronteira italiana "o quanto antes".

O governo austríaco pretende reavaliar a situação do país vizinho na próxima semana. "O objetivo permanece sendo reabrir assim que os dados permitirem", declarou o chanceler.

A província autônoma de Bolzano, que faz fronteira com a Áustria e tem fortes ligações culturais e históricas com o país, propôs que Viena permita a entrada de pessoas provenientes de determinadas regiões italianas onde a situação esteja sob controle. Segundo Schallenberg, o governo austríaco avaliará "seriamente" essa sugestão.

Em uma reunião com seu gabinete, o ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, disse que os individualismos "violam o espírito comunitário e prejudicam a Europa". Já um porta-voz da Comissão Europeia afirmou que os Estados-membros não devem fazer "discriminações baseadas na nacionalidade".

Bruxelas, no entanto, defende a liberação das fronteiras entre países que estejam em uma situação epidemiológica semelhante. A Itália registrou 4.188 casos nos últimos 10 dias (sete para cada 100 mil habitantes), enquanto a Áustria teve 273 (três para cada 100 mil habitantes).

Veja também:

Investigação da BBC revela tortura e abusos em escolas islâmicas no Sudão
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade