PUBLICIDADE

Atirador em shopping de Idaho, nos EUA, morre devido a ferimentos

27 out 2021 09h21
| atualizado às 09h51
ver comentários
Publicidade

Um homem que abriu fogo com uma arma em um shopping center de Boise, no Estado norte-americano de Idaho, matando duas pessoas e deixando outras feridas, incluindo um policial, morreu na terça-feira em decorrência dos ferimentos sofridos, disseram autoridades.

Policiais coletam evidências perto do local do tiroteio no shopping Boise Towne Square em Boise, Idaho, EUA
25/10/2021 REUTERS/Shannon Stapleton
Policiais coletam evidências perto do local do tiroteio no shopping Boise Towne Square em Boise, Idaho, EUA 25/10/2021 REUTERS/Shannon Stapleton
Foto: Reuters

Os investigadores ainda não determinaram se os ferimentos fatais resultaram de uma troca de tiros com a polícia no local, ou de um tiro autoinfligido antes de ele ser levado sob custódia, de acordo com o chefe de polícia de Boise, Ryan Lee.

A motivação do atentado de segunda-feira continua sob investigação, disse Lee a repórteres em uma coletiva de imprensa um dia após o ataque no shopping Boise Towne Square, no extremo oeste da capital de Idaho.

O suspeito foi identificado publicamente na terça-feira como Jacob Bergquist, de 27 anos, morador de Boise. Segundo o chefe de polícia Lee, o atirador já teve desentendimentos anteriores com a segurança do shopping e a polícia por "comportamento perturbador".

"Tivemos contato com ele no passado (mas) não tínhamos nenhum motivo para prendê-lo", disse Lee, acrescentando que Bergquist não tinha nenhum histórico de trabalho no shopping.

A polícia também revelou novos detalhes sobre o incidente, dizendo que o suspeito, que vestia preto, disparou vários tiros dentro do shopping antes de fugir do prédio e foi confrontado por policiais que chegaram ao local em 2 minutos e meio.

Segundo Lee, a rápida resposta pela aplicação da lei evitou uma "tragédia mais grave".

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade