2 eventos ao vivo

Ataque aéreo dos EUA no Afeganistão matou 10 crianças, diz ONU

25 mar 2019
11h44
  • separator
  • comentários

Um ataque aéreo dos Estados Unidos no Afeganistão matou 10 crianças de uma mesma família, além de três civis adultos, disse a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira.

Polícia afegã nos arredores da província de Kunduz
26/11/2017
REUTERS/Nasir Wakif
Polícia afegã nos arredores da província de Kunduz 26/11/2017 REUTERS/Nasir Wakif
Foto: Reuters

O ataque aéreo realizado na manhã de sábado foi parte de uma batalha entre o Taliban e uma combinação de forças afegãs e norte-americanas em Kunduz, província do norte onde a insurgência do Taliban é forte, que durou cerca de 30 horas.

As crianças e seus familiaress haviam sido deslocados por combates em outros locais do país, informou a Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (Unama) ao divulgar suas conclusões preliminares sobre o incidente. A Unama disse em um comunicado que está verificando se todas as 13 mortes de civis ocorreram perto do momento do ataque.

Três outros civis ficaram feridos. O incidente aconteceu na vizinhança de Telawka, próxima da cidade de Kunduz.

A sargento Debra Richardson, porta-voz da missão Apoio Resoluto, liderada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), no Afeganistão, confirmou que forças dos EUA realizaram o ataque, mas disse nesta segunda-feira que a missão ainda não confirmou se ele causou baixas civis.

Ela disse que a missão tenta evitá-las, enquanto o Taliban se esconde entre civis intencionalmente.

Um número recorde de civis afegãos perdeu a vida no ano passado devido a um aumento de ataques aéreos e atentados suicidas, disse a ONU em um relatório em fevereiro. As mortes de crianças causadas por ataques aéreos vêm crescendo todos os anos desde 2014.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • comentários
publicidade