PUBLICIDADE

"Temos dezenas de feridos", diz Correa sobre terremoto

17 abr 2016 01h56
| atualizado às 09h29
ver comentários
Publicidade

O presidente do Equador, Rafael Correa, admitiu neste domingo que os "danos são graves e há dezenas de mortos" após o terremoto de 7,8 graus na escala Richter que castigou no sábado à região norte da região litorânea de seu país.

Imagem do presidente equatoriano, Rafael Correa, em reunião da ONU
Imagem do presidente equatoriano, Rafael Correa, em reunião da ONU
Foto: EFE

O presidente, que concluiu uma visita ao Vaticano e que prevê chegar ao Equador na tarde deste domingo, escreveu em sua conta no Twitter que linhas de créditos com organismos multilaterais serão ativadas para atender a situação.

Além disso, confirmou a declaração de estado de exceção no país e de situação de emergência nas províncias litorâneas afetadas diretamente pelo terremoto.

"Acabo de assinar decreto de exceção e mobilização nacional. País em emergência. Hoje mais unidos que nunca. Ativamos linhas de crédito de contingências com multilaterais", afirmou Correa em sua conta da rede social.

"Danos são graves e temos dezenas de mortos. Terremoto mais forte das últimas décadas", acrescentou Correa ao indicar que "toda a polícia e ministérios estão mobilizados" no país para atender a emergência.

Ele explicou que a situação é "muito grave em Pedernales e Portoviejo", duas das cidades mais castigadas pela intensidade do tremor e afirmou que continuamente recebe informação de atualização.

"Nosso infinito amor às famílias dos falecidos", concluiu Correa.

 

EFE   
Publicidade
Publicidade