0

Alemanha acolherá cerca de 1.500 imigrantes desabrigados de ilhas gregas

15 set 2020
11h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Alemanha quer acolher cerca de 1.500 imigrantes retidos em ilhas gregas depois que um incêndio destruiu um campo superlotado, disseram fontes do governo nesta terça-feira, um gesto de solidariedade com o país-membro e colega de União Europeia.

Refugiados e imigrantes dormem próximo a prédio abandonado após incêndio destruir acampamento Moria, na ilha grega de Lesbos
14/09/2020
REUTERS/Alkis Konstantinidis
Refugiados e imigrantes dormem próximo a prédio abandonado após incêndio destruir acampamento Moria, na ilha grega de Lesbos 14/09/2020 REUTERS/Alkis Konstantinidis
Foto: Reuters

A decisão da chanceler Angela Merkel vem na esteira de um crescimento de seu partido conservador nas pesquisas de opinião à custa da sigla de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD), em virtude do que é visto por muitos como sua condução firme da crise do coronavírus.

Mais de 12 mil pessoas, a maioria postulantes a asilo de Afeganistão, África e Síria, ficaram sem abrigo, saneamento adequado ou acesso a comida depois que o fogo arrasou o campo de imigrantes de Moria, na ilha de Lesbos, na semana passada.

As fontes do governo alemão disseram à Reuters que seu país abrigará os imigrantes cujos pedidos de asilo já foram aceitos e que permaneceram em Lesbos.

O porta-voz do Ministério do Interior disse que foi feita uma proposta que membros conservadores do Parlamento debaterão ainda nesta terça-feira.

Há tempos a Grécia lida com o fardo da grande quantidade de imigrantes que chegam pelo mar, e existem cerca de 30 mil refugiados e imigrantes em suas ilhas.

A questão da migração continua a dividir a UE, que ainda não foi capaz de delinear uma política de asilo comum cinco anos depois de Merkel abrir as portas da Alemanha a 1,2 milhão de pessoas em busca de proteção.

A AfD ingressou no Parlamento alemão pela primeira vez dois anos atrás, e é o principal partido de oposição.

Os 1.500 imigrantes a serem transferidos da Grécia para a Alemanha se somam às 100-150 crianças que o governo de Merkel quer acolher.

Pesquisas mostram que a maioria dos alemães concorda em receber imigrantes que precisam de proteção, e Merkel e o ministro do Interior, Horst Seehofer, receberam apelos de políticos regionais e municipais para aliviar o fardo da Grécia acolhendo imigrantes.

Veja também:

A igreja que conecta fiéis a Deus com a ajuda do álcool
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade