0

Agência italiana acusa Ryanair de violar normas anti-Covid

Enac ameaçou suspender autorização de voos de empresa

5 ago 2020
10h34
atualizado às 10h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Entidade Nacional para a Aviação Civil (Enac) da Itália acusou nesta quarta-feira (05) a companhia aérea de baixo custo Ryanair de violar "repetidamente" as normas sanitárias do governo italiano para evitar a propagação do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Enac ameaçou suspender autorização de voo da Ryanair na Itália se as medidas não forem cumpridas
Enac ameaçou suspender autorização de voo da Ryanair na Itália se as medidas não forem cumpridas
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

A Enac notificou a homóloga agência irlandesa, onde a companhia aérea tem sua base, sobre as violações e alertou que se não houver respeito imediato às regras "imporá a suspensão de todas as atividades de transporte aéreo nas escalas nacionais, pedindo à transportadora que providencie, ao mesmo tempo, a proteção de todos os passageiros que possuem um bilhete de viagem".

Segundo a justificativa para o pedido, a agência italiana destacou que as direções aeroportuárias de diversos locais do país informaram que a Ryanair "sistematicamente não se atenta às disposições previstas na Itália para limitar o risco sanitário do coronavírus a bordo das aeronaves de partida ou chegada nos aeroportos nacionais".

Entre as medidas impostas para evitar a disseminação da Covid-19 nos voos, estão a obrigação do uso de máscara de proteção facial, o distanciamento obrigatório (que pode ser dispensado caso a transportadora cumpra todas as condições estabelecidas nos anexos técnicos do decreto-lei sobre o tema), além de outras disposições de caráter sanitário que devem ser respeitadas por tripulantes e passageiros.

A companhia aérea não se manifestou oficialmente sobre as acusações. .
   

Veja também:

A igreja que conecta fiéis a Deus com a ajuda do álcool
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade