4 eventos ao vivo

Mali vota sem incidentes no 2º turno das presidenciais

11 ago 2013
21h31
atualizado às 21h42
  • separator
  • 0
  • comentários

Os malineses votaram este domingo em calma no segundo turno das eleições presidenciais, mas o número foi muito menor do que no primeiro turno, em 28 de julho, para a escolha de um chefe de Estado, que deverá tirar o país de 18 meses de caos.

A votação, que opôs dois veteranos da vida política do país, Ibrahim Bubacar Keita, 68 anos, o favorito, e Sumaila Cissé, apelidado de "Soumi", 63 anos, foi perturbada durante parte do dia por fortes chuvas que caíram no sul do país, particularmente na capital, Bamako.

A votação foi menos importante que no primeiro turno, que foi realizado em um ambiente calmo, constataram jornalistas da AFP.

Alguns chefes de seções eleitorais em Bamaco disseram que a participação não chegou à metade da conseguida no primeiro turno, quando a taxa de participação foi excepcional para o país, com 48,98%.

As fortes chuvas da manhã não foram a única explicação, segundo alguns eleitores. "Não é só por causa da chuva", disse Ibrahim Tounkara, um deles.

Segundo ele, "os malineses compreenderam que tudo está decidido e que Keita vencerá, que não vale a pena sair sob a chuva para votar, mas talvez isso pode ser prejudicial para a qualidade da eleição".

Os dois candidatos pediram "calma e serenidade" após ter votado na capital.

Segundo testemunhas entrevistadas pela AFP em Bamaco, nas grandes cidades e regiões administrativas do norte do país - Gao, Tombuctu e Kidal -, a votação também foi realizada sem incidentes, apesar do temor de atentados de grupos jihadistas que ocuparam e aterrorizaram estas regiões durante nove meses em 2012.

Uma rede de dois mil observadores malineses independentes comemorou em um comunicado o bom desenvolvimento do pleito.

O segundo turno das presidenciais deste domingo deve restabelecer a ordem constitucional, interrompida por um golpe de Estado militar em 22 de março de 2012, que precipitou a queda do norte do país nas mãos de grupos islamitas armados vinculados à rede Al-Qaeda.

As eleições foram vigiadas por centenas de observadores nacionais e internacionais e sua segurança garantida pelo exército malinês, os capacetes azuis da Minusma e o exército francês.

Ibrahim Bubacar Keita, certo da vantagem de 20 pontos percentuais (39,79% dos votos no primeiro turno contra 19,70% para Cissé), se revela o franco favorito, pois recebeu o apoio de 22 dos 25 candidatos no primeiro turno.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade