0

Doria chama de 'grotesco' vídeo de sexo atribuído a ele

Tucano nega que seja a pessoa que aparece em vídeos de sexo que circula nas redes sociais e afirma que peritos irão analisar imagens

23 out 2018
18h29
atualizado às 18h39
  • separator
  • comentários

Candidato do PSDB ao governo paulista, o ex-prefeito João Doria divulgou nessa terça-feira, 23, uma gravação ao lado de sua esposa, Bia Doria, no qual nega que seja a pessoa que aparece em vídeos de sexo que circula nas redes sociais. Doria afirmou que o material é uma "produção grotesca" para atacá-lo na campanha.

Em pelo menos três vídeos diferentes que circulam no internet, há cenas de sexo envolvendo seis mulheres e um homem que na gravação foi identificado como sendo o tucano.

João Doria ao lado da mulher, Bia, em vídeo divulgado nas redes sociais do tucano
João Doria ao lado da mulher, Bia, em vídeo divulgado nas redes sociais do tucano
Foto: Reprodução/Twitter / Estadão

"Hoje eu vi um vídeo vergonhoso nas redes sociais, que foi produzido por alguém que só quer o meu mal e o mal da minha família. Uma produção grotesca. Fake news. Pedi a um perito criminal que verificasse essas imagens. Pedi também medidas judiciais e criminais contra os autores desse vídeo. Lamento muito que a campanha em São Paulo tenha chegado a esse nível de ferir a nossa família", disse o ex-prefeito.

O candidato do PSDB disse ainda que está sendo atacado por causa de sua posição nas pesquisas de intenção de voto. "Não imaginei que, pelo fato de estarmos liderando a campanha, o vale tudo começasse principalmente nesse nível nos últimos dias."

Embora Doria não tenha citado nominalmente Márcio França (PSB), seu adversário na disputa do segundo turno pelo Palácio dos Bandeirantes, a campanha do pessebista divulgou uma nota oficial de repúdio a uma acusação feita por integrantes da campanha tucana ao jornal O Globo.

Segundo o jornal, a campanha de Doria teria acusado o governador pelo vídeo.

"A assessoria de imprensa da campanha do candidato Márcio França (PSB) ao governo de São Paulo repudia de forma veemente a acusação feita pelo candidato João Doria de envolvimento na divulgação de um vídeo que circulou nesta tarde (23), nas redes sociais. A denúncia é tão grave quanto a violência da qual João Doria é vítima", disse a nota de França.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o vereador Camilo Cristófaro (PSB) assumiu que divulgou a gravação e disse que ela foi feita por uma garota de programa que não teria recebido o cachê. Cristófaro, que chegou a ser cassado pela Justiça Eleitoral, é correligionário de França e participa de agendas da campanha do governador, que disputa a reeleição. O vereador manteve seu mandato após decisão no TRE-SP.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade