PUBLICIDADE

Fábio Faria desiste de candidatura e permanece no governo

Faria era cotado como candidato ao Senado pelo Rio Grande do Norte e disputava o apoio de Bolsonaro com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que deverá pleitear o cargo

22 fev 2022 18h33
| atualizado às 18h40
ver comentários
Publicidade
Ministro das Comunicações, Fábio Faria. 17/6/2020. REUTERS/Adriano Machado
Ministro das Comunicações, Fábio Faria. 17/6/2020. REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou nesta terça-feira, 22, que não disputará as eleições e permanecerá no governo. Faria era cotado como candidato ao Senado pelo Rio Grande do Norte. Ele disputava o apoio do presidente Jair Bolsonaro (PL) com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que deverá se candidatar ao cargo.

"Hoje venho aqui compartilhar com vocês que eu permanecerei ministro das Comunicações. Não serei pré-candidato ao Senado Federal", disse Faria. "Tive hoje uma conversa com o ministro Rogério Marinho, já tinha tomado essa decisão, mas hoje nós decidimos fazer essa comunicação, retirar a pré-candidatura", completou.

O ministro afirmou que desistiu de disputar as eleições por entender que seu maior legado será a entrega do 5G nas 27 capitais, que ocorrerá em julho. Caso fosse candidato, ele deveria deixar o cargo em abril, seis meses antes das eleições. Bolsonaro já afirmou que 11 ministros devem deixar o governo para disputar as eleições.

O presidente também havia sinalizado, em live no último dia 10, que apoiaria Marinho nas eleições para o Senado no Rio Grande do Norte. Um dia antes, durante evento de inauguração de obras da transposição do Rio São Francisco, em Jardim de Piranhas (RN), o próprio Faria disse que apenas um dos ministros pleitearia o cargo.

As falas do ministro nessa ocasião renderam uma representação do Ministério Público Eleitoral no Rio Grande do Norte contra ele por propaganda eleitoral antecipada. De acordo com a representação, o evento teve sua finalidade desviada e se tornou um ato político eleitoral.

"Nós temos um projeto", afirmou Faria. "O projeto de reeleger o presidente Bolsonaro", completou. "Porque entre eu e o Rogério, e em nome do projeto do Estado, só vai sair um…Porque a nossa missão é tirar essa governadora mentirosa", disse o ministro das Comunicações.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade